terça-feira, 7 de abril de 2020

CBF doa R$ 19.120.000 para os clubes e federações da base da pirâmide do futebol brasileiro

A CBF - Confederação Brasileira de Futebol -, anunciou na tarde desta segunda-feira(06), uma ajuda financeira em forma de doação para 140 equipes das Séries: C, D, A-1 e A-2 (essas duas últimas do futebol feminino) e às 27 federações dos 26 estados e o DF. O valor total chega aos R$ 19.120.000. A verba já começa a fluir nos caixas, a partir desta terça-feira(07).

A distribuição ficou assim:

Série D - 68 clubes x R$ 120 mil = R$ 8,16 mi
Série C - 20 clubes x R$ 200 mil = R$ 4,00 mi
A-1(Fem) - 16 clubes x R$ 120 mil = R$ 1,92 mi
A-2(Fem) - 36 clubes x R$ 50 mil =  R$ 1,80 mi
27 Federações a R$ 120 mil dá um total de R$ 3,24 mi

"Vivemos um momento inédito, de crise mundial, cuja extensão e consequências ainda não podem ser calculadas".

"Nosso objetivo, com essas novas medidas, é fornecer um auxílio direto e imediato".

"Além disso, temos que seguir trabalhando para assegurar a retomada do futebol brasileiro no menor prazo possível, quando as atividades puderem ser normalizadas".

As três falas de Rogério Caboclo, presidente da CBF.

(*) Obs: para Rondônia nos dois meses entrarão

Ji-Paraná FC R$ 120.000
Vilhenense EC R$ 120.000
Real Ariquemes EC R$ 50.000
FFER R$ 120.000  


domingo, 5 de abril de 2020

DE CLIENTE A TERRORISTA EM UM ESPIRRO

Hoje precisei quebrar o isolamento social pela primeira vez em 15 dias, fui a um mercadinho-fruteira que fica na esquina de casa. No caminho, enquanto aguardava o intenso fluxo de carros passar, lembrei que havia esquecido meu lenço-máscara para cobrir o rosto. Relevei o caso e pensei: "basta manter distância das pessoas e torcer para que ninguém espirre."

O mercadinho-fruteira é pequeno, comércio familiar local, é o melhor lugar da cidade para comprar frutas, verduras e legumes, mas vende também suprimentos básicos. Quando entrei, encontrei cinco funcionários e mais cinco clientes, número razoável e seguro para o tamanho do ambiente.

Reparei que um funcionário varria o chão, o que me pareceu ser um bom sinal. Parei para escolher batatas e logo uma senhora, literalmente, colou em mim. Eu olhei para ela como quem diz: "a senhora vai ficar mesmo colada em mim?"...

A senhora despertou para a vida e se descolou, seguiu suas compras. Fomos nos encontrar novamente lá na seção dos abacates, no fundo do mercadinho. Eu aguardava, à distância, o senhor que calmamente apertava a todos os abacates, para em seguida poder escolher o meu. Nisso, a mesma senhora se aproximou novamente, sem a menor noção da nova etiqueta social e do perigo que ambos corremos.

Olhei para ela com vontade de esterilizar ou exterminar a pessoa com os olhos, o que a fez relembrar que não estamos em tempos de aproximação social. Pus-me a refletir: "mas será que essa gente não está ligada no que está acontecendo? Em que mundo vivem???"...

Peguei meu abacate e dei dois passos à frente. O rapaz que varria o mercadinho estava vindo em nossa direção e sua atividade estava levantando poeira; foi inevitável. Em uma fração de segundos veio uma vontade irrepreensível de espirrar, passou um filme na minha cabeça, mas o máximo que consegui foi espirrar para o lado com a proteção do cotovelo: AAAAaaaaattttccchiiiinnnnnn!!!!!!

Fez-se um silêncio sepulcral...

A eternidade do momento é indescritível. Quando eu levantei a cabeça estavam todos estáticos, me observando catatônicos e com olhos esbugalhados. Em questão de segundos eu me transformei de um simples cliente a terrorista altamente perigoso.

Em minha defesa, só consegui balbuciar: "Rinite! Gente, é rinite! Por causa da poeira"... mais aliviadas, as pessoas voltaram a se mexer e fazer suas compras. O rapaz com a vassoura olhou para um outro funcionário e resolveu parar, pelo menos enquanto eu estava por ali.

O calvário dos abacates até o caixa foi terrível. Até que eu conseguisse pagar e sair do mercadinho eu não consegui ficar imune aos olhares suspeitos de todos. No caminho de volta para casa não parei de pensar: "e se fosse outra pessoa que tivesse espirrado, como eu ia me comportar?"

Honestamente não sei; mas, provavelmente, iria entrar em estado de atenção redobrada, voltaria para casa para buscar meu lenço-máscara, vestiria uma roupa de astronauta com cilindro de oxigênio e iria pensar muito se voltaria para fazer as compras.

Que tempo estranho esse que vivenciamos, onde um espirro na fronteira oeste do Rio Grande do Sul pode causar o caos lá no oriente ou vice-versa. Melhor ficar em casa o máximo possível e se precisar muito sair, use máscara, luvas e evite espirrar em público. Foi o que aprendi na minha primeira desventura fora de casa nessa quarentena.

Autor: Marco Bonito - Profº/Dr em Comunicação Social com ênfase em Processos Midiáticos - Unipampa e Unisinos -, também torcedor da S.E. Palmeiras.

quinta-feira, 2 de abril de 2020

Sete Clubes e um destino

Na tarde desta terça-feira (31/03) a diretoria da FFER – Federação de Futebol do Estado de Rondônia realizou reunião por vídeo conferência com os presidentes dos clubes, sobre o campeonato Rondoniense 2020.
Devido à pandemia do COVID-19 que culminou na paralisação do campeonato estadual 2020 desde último dia 18/03 a entidade reuniu os representantes dos clubes para uma reunião por vídeo conferência e estiveram presentes; Atlético Pimentense, Porto Velho Esporte Clube, Sport Club Genus, Real Ariquemes, Ji Paraná Esporte Clube, Vilhenense Esportivo Clube e Sociedade Esportiva União Cacoalense juntamente com a diretoria da entidade. Na oportunidade foi discutido sobre os próximos passos em relação ao andamento do campeonato estadual, onde os presidentes foram ouvidos e houve intenso debate sobre o assunto.
Ao final tendo em vista a preocupação demonstrada por todos, ficou definido que o campeonato deve permanecer paralisado, obedecendo aos decretos em vigor e que somente voltam a se reunir no início do mês de maio, ou caso haja alguma mudança positiva no atual decreto.

Texto e Foto: Comunicação da FFER

terça-feira, 24 de março de 2020

Declarações bombásticas abalam as estruturas do Ninho do Periquito

Segunda-feira, 23 de março de 2020. Período da tarde no CT do Rondoniense SC, bairro Ulisses Guimarães em Porto Velho-RO, lugar tranquilo ambiente verde onde somente via-se a revoada dos passáros e, numa lateral de um dos campos nosso personagem central: Luciano Mattos.

Sim o carioca Luciano Mattos, treinador do Periquito não se conteve de sua condição de isolamento, em função do Decreto do Governo Estadual, sobre paralisação de todas atividades inclusive o Futebol. E, nesta segunda-feira explodiu de vez toda sua desesperança com relação ao mandatário oficial do clube Sr. Edinei Martins Pereira Santos.

E foi comunicado ao Globo Esporte, ao William Homem do Tempo e ao Ronan Costa - os dois últimos ligados a matérias sensacionalistas e policiais -, sim porque o caso parece que vai convergir para este lado, e sair da área esportiva.

O Blog ouviu: Luciano Mattos (técnico), Álisson Albino (Gerente de Futebol) e Edinei Martins (Presidente). O Sr. Antonio Tadeu (Fundador Majoritário), não respondeu ao Blogueiro.

Vamos aos fatos

Luciano Mattos acusa o atual presidente Edinei Martins de ter dado um calote do tamanho do rio Amazonas, em todos os atletas da equipe do RSC. Alguns já foram embora de Porto Velho, graças aos familiares que pagaram suas passagens.

Hoje, segundo Luciano há oito pessoas hospedadas num casarão no bairro Ulisses Guimarães - 6 atletas, 1 treinador de goleiros e o próprio denunciante -, o aluguel dessa casa está atrasado desde janeiro, assim como a energia elétrica e a internet.

Outra denúncia, e esta bem pesada trata-se da alimentação: "aqui estamos vendendo o almoço para comprar a janta", quase isso; tem dias que não tem o café da manhã, a última remessa em termos de valores por parte do Dinei, foi de R$ 80,00 (isso mesmo oitenta reais), para comprar mantimentos para 8 pessoas. "Se não fosse a bondade do Sr. Luís Simplício que mora lá no CT de nos ajudar na comida, já tínhamos passado fome".

Quer mais, sim: "descobrimos que esse Sr. Dinei é 171, ele realiza eventos  em vários cantos do Brasil, daí que o primeiro sai tudo bonitinho, do segundo em diante ele se apossa dos valores".

Edinei Martins, assim se expressou ao blogueiro: "Luís, o Luciano não tem essa índole, tem coisa ai por trás", estou reestruturando o clube na sexta-feira próxima, vou mandar meu vice-presidente ao teu programa ele vai explicar tudo que iremos fazer no CT.

Com relação aos salários - do Luciano já paguei um mês, outros atletas devo sim, mas já tenho alguns vales por conta. Mesmo assim vou acionar meu Jurídico para processar muitos que me acusaram de estelionatário (isso é crime).

E aqui vou eu: na verdade parece que rola o chamado crime contra a honra - Injúria, Difamação e Calúnia - não lembro se a ordem é essa (meus velhos tempos de APC).

Fui verificar algo sobre o Edinei Martins Pereira Santos, consta que o grandalhão é sócio-administrador da Empresa Red Rafael e Edinei produções artísticas, Eventos e Sports Ltda. Atividade principal - artes cênicas, espetáculos e atividades complementares não especificadas anteriormente, com um Capital Social de R$ 200.000,00.

E por último consultei o EX-GERENTE DE FUTEBOL Álisson Albino. Sim, EX para minha surpresa. Solicitei uma análise do que ele ouviu pela imprensa. Eis as respostas:

- Desde a semana passada não faço mais parte do Rondoniense. Enquanto o Edinei estiver na presidência, eu não trabalho mais lá;

- Não posso ser conivente com a falta de responsabilidade dele;

- Não tem honrado os compromissos, inclusive o meu;

- Em relação a alimentação,quando o Edinei não manda (como foi o caso desse fim de semana), o TADEU sempre ajuda: seja levando na casa, ou seja com os utensílios do CT lá com o Sr. Luís Simplício;

- Então posso garantir, a alimentação pode não está sendo a ideal, mas ninguém está passando fome;

- Com relação ao Profº Luciano foi um momento de muita raiva, para ele chegar a esse ponto. Isso mancha a imagem do clube;

- Não sou a favor desse tipo de matéria, pois não penaliza o responsável e sim ao clube.
(Luciano Mattos (d) ao lado desse velho Cancão das Ipueiras e nossa musa Bianca Leite)

(*)att: os recibos (alguns) de compra de alimentos não publiquei pois são contas em nomes de pessoas físicas.

segunda-feira, 23 de março de 2020

Em rítmo de Isolamento Social

E Atenção!!!

Com a desistência do Guaporé FC em continuar a disputa do rondoniense-2020, com o Guajará EC sinalizando o mesmo caminho e, com o "arrependimento" de desistir do União Cacoal. O velho e teimoso blogueiro volta às suas "ANÁLIZES" meu amigo internauta que gosta de pegar no meu pé.

Repare bem, estou de quarentena por isso cheio de ideias e conversando com outros intelectuais do ramo, tipo: Jabá, Boiadeiro, Luciano (aliás tem dois agora pra eu trocar ideias) e, o sempre carismático Batizoco.

O que estou colocando pra FFER é assim:

Pega-se os cinco primeiros colocados até a 7ª rodada: PVH, Real, Vilhenense, Jipa e Cacoal..., vou chamar de A, B, C, D e E. E faz todos contra todos, ao final o que somar o maior nº de pontos será o Campeão, até o 5º colocado só jogos de IDA.

Dá 10 jogos, cada equipe joga 4 vezes duas em casa e duas fora.
5 datas acaba o Campeonato...,


Exemplo: 4/4, 11/4, 18/4 e 25/4... Ah, faltou uma data SIM faz no dia 21 de abril FERIADO uma terça-feira...,

Os jogos

AXB, AXC, AXD, AXE..., BXC, BXD, BXE..., CXD,CXE,....,e DXE.

Vamos Comentar..., vamos dar ideia???
(Grupos A e B - foto: MKT do RSC)

quarta-feira, 18 de março de 2020

Arbitragem de Rondônia em nível nacional tem baixa

O time dos árbitros de Rondônia em nível nacional, teve uma baixa nos testes físicos podendo somar  duas e, a chegada de mais um analista. A baixa foi justamente do árbitro Caio Cazuza, não aguentou o rojão dos testes físicos. A outra baixa foi de Maicon Pessoa.

Maicon por problemas de saúde não pode participar - mas justificou, pra fazer os testes em outro local, e nova data -, os testes aconteceram na cidade de Rio Branco no Acre, nesta sexta(13) e sábado(14). 

A lista dos aprovados foi esta:

Assistentes

Adenilson de Souza Barros, Rolim de Moura/RO
Joverton Wesley de Sousa, Ariquemes/RO
Márcia B. Lopes Caetano,  Porto Velho/RO
Renato Aparecido dos Reis, Espigão D'Oeste/RO
Valdebrânio da Silva, Vilhena/RO

Árbitros

Fledes Rodrigues Santos, Porto  Velho/RO
Jonathan Antero, Ariquemes/RO

Analistas de Arbitragem

Almir Belarmino Caetano, Porto Velhor/RO
Jurandir Lico de Camargo, Vilhena/RO
(Árbitros, Assistentes e Analistas da Arbitragem/foto: Divulgação)

terça-feira, 17 de março de 2020

Campeonato Rondoniense está paralisado por prazo indeterminado

Exatamente às 13h29 era publicado no Site Oficial da FFER o comunicado sobre a paralisação do Campeonato Estadual de Futebol de 2020. Esta nota o blogueiro havia publicado na madrugada desta terça-feira(17), podendo ser de 15 dias a suspensão.

Mas a FFER foi muito além e, com base em cinco CONSIDERANDO da Portaria nº 02 da Presidência resolveu suspender todas as competições por ela promovida por prazo indeterminado e, daqui a 15 dias fazer uma reavalição sobre o andamento dessa pandemia em nível Mundial e Nacional do Coronavírus (COVID-19).

Leia a Nota Oficial aquiaqui

CBF doa R$ 19.120.000 para os clubes e federações da base da pirâmide do futebol brasileiro

A CBF - Confederação Brasileira de Futebol -, anunciou na tarde desta segunda-feira(06), uma ajuda financeira em forma de doação para 140 e...