domingo, 11 de fevereiro de 2018

Rondoniense-18: dois jogos, cinco gols e dois vermelhos

 Começou da melhor maneira possível o nosso "delicioso, instigante" e vibrante campeonato estadual de futebol de 2018. Em campo, quatro das oito equipes já deram as caras ao grande público - em Vilhena e Ji-Paraná -, e os visitantes foram pratos indigestos.

Este velho blogueiro que, acompanha o desenrolar dos estaduais desde o século passado - precisamente 1993 até este 2018 -, ou seja, só ai já se vão um quarto de século. Posso afirmar entre lapsos e sinapses que os últimos cinco anos têm se constituído em belas aberturas de campeonatos em Rondônia.

Em 2014 foram 8 gols em 3 jogos;
Em 2015 foram 6 gols em 3 jogos;
Em 2016 foram 10 gols em 4 jogos; 
Em 2017 foram 7 gols em 4 jogos; e
Em 2018 foram 5 gols em 2 jogos - faltam dois jogos p/completar a 1ª rodada.

Desses 5 anos, somente em 2017 tivemos um zero a zero. Empates sim, mas sempre com gols.

Falando dos dois jogos deste sábado. Vi e ouvi - posso dizer que vi os dois jogos - pois a transmissão do jogo entre: Barcelona 1 x 1 Rondoniense, estava tão perfeito o sinal e o trabalho dos titulares do esporte da web rádio Capital FM, da qual me incluo parecia que estávamos à beira do gramado do Portal da Amazônia.

Fico com a análise franca de: Bosco Gouveia e Carlos Bicho, quando elogiaram bastante o desempenho do Rondoniense SC quanto a postura, a tática, o esquema empregado pelo treinador Luis Reis, um time jogando pra frente, sabendo trabalhar a linha alta, a defesa muito segura.
(Rondoniense SC de 2018 - Divulgação)

Existem alguns detalhes para se corrigir. Sim, claro era o primeiro jogo do RSC e fora de casa. Mas a primeira impressão é a que fica, o time deixou essa boa impressão - principalmente ao rigoroso Carlos Bicho -, parabéns ao Periquito. Um ponto fora de casa, já é um bom começo.

Mas não ficou só nisso, o mandante do jogo e atual vice-campeão de RO, mostrou que nesse tabuleiro de xadrez do estadual deste ano, também tem muita coisa boa por ai. O Barça teve ainda no primeiro tempo que trocar seu lateral Guarate, saiu com problema de estiramento na coxa. Entrou Jorginho que deu conta do recado.

Os gols só vieram na segunda etapa. Logo aos 32 segundos, ou seja, um cochilo do atacante Marcolino pelo RSC em que perdeu a bola para André, esse acionou o número 10 Callado que abriu o placar e fez o primeiro do campeonato. Aos 11 minutos Marcolino se redimiu e, levou pra cima do zagueiro Fernando, esse cometeu pênalti. Vinicius um dos novatos do RSC foi lá e empatou.
(Vinicius autor do gol do RSC - Divulgação)

Final de jogo: Barcelona FC 1 x 1 Rondoniense SC.

Nesta mesma toada vamos até Ji-Paraná, jogo das 20h e também da TV. Vale registrar e elogiar o trabalho do pessoal da Rede TV, show de bola. 

Show que infelizmente o Biancão não viu seu Galo apresentar, mas a torcida do Jipa é uma sensação à parte. Mais de MIL pagantes, que presenciaram um visitante indigesto. Vilhenense Esportivo Clube conhecido também pela alcunha de Leão do Norte, um debutante no campeonato.

Quando a bola rolou, notava-se um Ji-Paraná de certo ponto meio acanhado e o Vilhenense não. Um time bem experiente, com toque de bola curtos, retendo o máximo possível a bola Hulk e irritando o adversário. Em certo momento os ânimos se acirraram, parecia até que queriam testar o bom árbitro Servílio Patrício, este por volta dos 38' após uma confusão entre os atletas, sorteou dois para o chuveiro - os atacantes Nilsinho (Jipa) e Vandinho (Vilhenense).

Ainda no primeiro tempo, após as duas expulsões vieram os gols: aos 45' numa bela jogada do lateral esquerdo William que levantou a bola para a área do Jipa, o atleta China deslocou o goleiro do Jipa colocando no canto esquerdo, por cima, Um a zero Vilhenense.

Dois minutos após, o Jipa acordou em campo Assis - um dos melhores do Galo levou pra cima da zaga do Vilhenense, e na saída do goleiro Rodolfo ele chutou rasteiro no peito do goleirão, na sobra Tuquinha mandou uma bomba sem chances entre a trave esquerda e o goleiro, gol do Jipa. Empate ainda no primeiro tempo. Um a um.

Para a segunda etapa, quando se imaginava o Galo com o mesmo poder de fogo do final do primeiro tempo, nada. Um cochilo do bom lateral esquerdo Matheus Maritaca, que havia entrado na vaga de Rob - ele Matheus Maritaca ao invés de partir pra cima do atacante Fiuza, fez foi recuar - quando viu estava dentro da grande área, sem poder "encostar" no arisco Fiuza, poderia sair um pênalti.

Foi pior, Fiuza na pequena área deu voltando e Leandrinho camisa 10 do Vilhenense, dominou a bola, pensou o que faria, e fez. O gol da vitória do time amarelo e preto (lindo material do Leão), isso aos 3' do segundo tempo. O Galo teve 42' sem contar os acréscimos para, pelo menos empatar o jogo. 

O certo é que, se existe momento para perder um jogo, o Jipa perdeu na hora certa. Merecia pelo menos o empate com Assis, ou Tuquinha que jogaram bem. Entendo que faltou o homem que pensa o jogo ali no meio - Jr. Ji-Paraná será esse 10 -, no ataque falta pouco para Vinicius ganhar condições de jogo. Ai Rob se solta e vai ajudar o cabeludo Assis. Placar final: Jipa 1 x 2 Vilhenense.
(Camisa 10 de Jr. Ji-Paraná - Divulgação)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

JOER-2018: Maria Eduarda - Duda - é Hexa Campeã na Ginástica Rítmica

Os dias 12 e 13 (sexta e sábado), foram muito movimentados em Vilhena, palco das finais de Ginástica Rítmica dos JOER - Jogos Escolares de ...