domingo, 4 de março de 2018

Não teve Boka, aliás teve sim!

Existe uma expressão bem popular, inclusive no meio do futebol que diz: "não teve boca pro seu time, ganhamos de goleada". Essa ao pé da letra poderia ser usada pelo torcedor do Periquito, porquê, até o Boka andou fazendo o seu no meio dessas feras do Rondoniense.

Era grande a expectativa de ambas as torcidas - pelo lado do Genus se aparecia no famoso BID os nomes de: Diego (zagueiro) e Wesley (meia/volante) - finalmente, liberados nos acréscimos da sexta-feira. Diga-se os dois entraram no jogo e, principalmente Diego que esteve mais tempo não comprometeram, mostraram bom futebol.

Pelo lado do RSC, um silêncio sepulcral durante a semana - era certa a falta de Joilso (expulso no jogo contra o Jipa) e, outros atletas entregues ao DM - enfim, a falta de informações lá do Ninho parece que foi uma estratégia do Profº Luis Reis.

Falando em estratégia, ele Luis Reis tem o seu time na palma da mão, hoje voltou a contar com os dois zagueiros, partida muito boa do Fábio Gomes e, a volta do Hércules pela lateral esquerda, onde por incrível que pareça ele que é destro se dá perfeitamente naquela posição. Contra o Jipa ele jogou pelo lado direito e não foi tão bem.

Agora temos que reconhecer, como joga bonito o RSC, principalmente quando se forma o chamado Losango, pela esquerda ou pela direita na seguinte formação: Maciel é o homem chave, toca para Marcolino este para o Índio e Maranhão - lembrando que a figura do Losango na Matemática tem quatro pontos, ou lados - sem entretanto formar ângulos de 90 graus.

Pela direita, tudo começa com Maciel, este para Sidney, Lucas Daniel e Maranhão. Quer dizer as peças fundamentais do Periquito da zona leste - estes dois: Maciel e Maranhão - claro que ai entram os alas Bú e Hércules, sem contar a dupla de zaga Vinicius e Fábio Gomes. Rafael Alemão, hoje nem parecia o goleirão contra o Jipa.

E o Genus? O que faltou para a jovem equipe Aurigrená; olha o Diego estreou muito bem, saiu por contusão. Gabriel Sarges, apesar do "frango" no segundo gol, foi e ainda tem muitos créditos com a torcida, um dos melhores do Genus. Juninho teve cola no seu pé, não rendeu o que sabe. Charlhinho foi o mais brilhante do Genus, principalmente nos primeiros 45' de jogo.

Os gols: aos 42' do 1º/T o árbitro marcou um agarrão do zagueiro do  Genus no atacante Maranhão, pênalti sem muita convicção por parte do Sr. Jonathan Antero, Vinicius cobrou com categoria: RSC 1 x 0 Genus.

Aos 33' do 2º/T após ter levado uma certa pressão do Genus, o Periquito teve dois escanteios em seu favor, no segundo um bate-rebate na pequena área do Genus, a bola sobrou para o Maranhão que mandou de bico, ora ora vale sim senhor, é tanto que o goleiro do Genus ainda ajudou a botar a bola para dentro de seu gol. RSC 2  x 0 Genus.

A partida já estava indo para o final, a torcida do Genus estava deixando o Aluizão, quando aos 47' um ex-Genus, que eu vi fazer gol parece pelo Sub-20 do próprio Genus, ele Boka que esteve no próprio RSC no ano do título, foi lá com categoria passou por dois defensores do Genus e chutou no canto rasteiro lado direito de Gabriel Sarges. RSC 3 x 0 Genus.

Este que já está sendo considerado o carimbo do Periquito: três tentos em seu favor;

Muito boa a presença de público, principalmente porque o RSC era o mandante.

O Rondoniense SC volta a jogar no próximo sábado(10/03), no Aluizão às 20h contra o VEC. Por outro lado o Genus entra em campo na sexta-feira(9/03), às 20h no Portal da Amazônia contra o Barcelona.
(Boka de braços abertos, comemorando seu golaço - foto: Alexandre Almeida)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Corrida do Fogo é o tema desta terça(19), no Esporte Show

A convidada de hoje no Esporte Show, será Lucelma Cordeiro, ela que faz parte do quadro de oficiais do Corpo de Bombeiros de Rondônia. O te...