Pular para o conteúdo principal

Genus pisa o Ribeirão de Aurigrená

Daqui a pouco nosso representante no brasileirão da Série D, entra em campo no Estádio Raimundo Ribeiro - Ribeirão em Boa Vista-RR -, digo nosso porque a partir do momento em que o representante oficial desistiu de participar. Quem manifestou-se? Somente o time Aurigrená da capital - Sport Club Genus - que representa o estado, e não somente Porto Velho.

Um corre-corre danado. Reuniões, dirigentes visitam a FFER, vão atrás de parceiros e encontram um jovem empreendedor/administrador de empresas do ramo da Contabilidade chamado Elizeu Cabral que por sinal tem um timaço com o mesmo nome, e que faz sucesso nos campeonatos de bairros da capital.

Parceria firmada e um cargo importante dentro do organograma do Genus, Diretor de Futebol com carta-branca para contratar, demitir, enfim. O planejamento elaborado por Elizeu foi perfeito, trouxe logo de uma lapada só, em torno de 20 atletas do seu Cabral FC e foi buscar no mercado local algumas peças para ajustar ainda mais o time.

A prioridade num primeiro momento foi carregar na parte física, pois a parte técnica/tática todos já se conhecem e - grifo meu, todos jogam muita bola - e um time jovem; pra se ter uma ideia somente dois atletas dos 24 selecionados tem mais de 30 anos, justamente o zagueiro San(31a) e craque do time Marcos Canhoto, também com a mesma dezena. Os outros na faixa dos 20 e poucos.

O time realizou dois amistosos: um contra a Corretora de Seguros Caliptra, ganhou de 5 a 3 e outro contra o time da OAB-RO, ganhou de 3 a 1 fez 8 gols - tomou 4 gols, vale lembrar que estes 3 do Caliptra tinha do outro lado um "tal de Souza" que faz gol por brincadeira e mais o Gabriel Vasconcelos (Flu) e o irmão gêmeo do Souza.

Agora vem a parte mais salutar dessas mal-traçadas. Estava eu zapeando a TV aberta ontem(sábado), atrás de notícias do futebol local e, me deparo com várias reclamações de torcedores do Genus com relação ao material utilizado pela delegação em viajem até o extremo norte. Atletas do Genus com camisas pretas, ou camisas vermelhas e com o logo do Cabral FC.

Ora, ora, se o Diretor de Futebol entrou com toda estrutura de seu Cabral FC. Se a partir do momento em que o Genus anunciou sua entrada na Série D, há inúmeros acessos via Net. Era muito natural que alguma vantagem o Cabral iria ter.

No mesmo programa de TV, gostei demais da participação do presidente do time Sr. Ediney Lucas - ele foi de uma precisão cirúrgica - deu umas palmadas com luva de pelica na imensidão de manifestantes contra o material utilizado nos dois amistosos, e disse mais: "quero esse pessoal todo no Aluizão quarta-feira, o material utilizado foi somente nos amistosos, hoje o time entra de Aurigrená". É isso presidente.

Disso tudo me vem à mente a letra do Ultraje a Rigor: indecente é ficar despido da cultura, sem roupa, sem saúde, sem casa, tudo é tão imoral. A capital sem estádio, sem futebol é que é vergonha estadual. Com adaptações.

Já vi grandes do futebol brasileiro vestido: time azul (vestido de amarelo), time alvinegro(com material lilás), time verde(com amarelo) até o meu Flu(com camisa laranja). Meus caros, vamos encher o Aluizão na quarta. Só não vale pelado, pelado, nú com a mão no bolso - pois o juizão não permite - o Genus vai com seu material tradicional.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Rondoniense de 17 anos vai disputar o concorrido Sub-20 em SP

Olha que notícia maravilhosa. Vem daqui de perto do distrito de Jaci-Paraná, a 80 km de Porto Velho, um filho do distrito chamado Jardson Medeiros, zagueiro de 1,85 m com 17 anos, pé esquerdo, pelo visto um prodígio - na acepção da palavra -, daqueles com habilidades próprias para pessoas com mais idade.
Acompanhe o histórico de Jardson: foi bicampeão da copa treze sub-15 pelo Avaí-PVH; em 2015 disputou o sub-16 pelo SC Genus; já o ano passado foi campeão do Interdistrital pela seleção de Jaci-Paraná, quando foi muito elogiado pela postura em campo e personalidade.
Desta temporada o garoto começou a viajar. Entenda-se viajando para fazer o que mais gosta, e sabe fazer. Foi para Confins-MG, disputou o campeonato mineiro sub-17 pelo Bonsucesso EC, sucesso garantido seu time foi eliminado na semifinal mineira. Algumas equipes de base da terra de Tiradentes tentaram ficar com o zagueiro.
Porém, seu destino acabou sendo São Paulo, primeiro jogou pelo Osvaldo Cruz FC, interior paulista. Ao vol…

Atacante Gabriel Henrique está de partida do SC Genus

Virada do ano já começa bem movimentado pelo lado do time Aurigrená da Capital. Primeiro a polêmica das camisas para 2018, com dois escudos: Genus/Avaí, e hoje(2/jan) a desistência do ótimo atacante Gabriel Henrique, 21 anos, que recebeu uma proposta muito boa de Alagoas.
O novo time de Gabriel chama-se Santa Rita, é da cidade de Boca da Mata e fundado em 25/05/1974. O atleta estava com pré-contrato com SC Genus, para o ano de 2018. (Gabriel Henrique está saindo do Genus - foto: Fanpage do Clube)

Tanaka faz acordo amigável e dá adeus ao Periquito

Foram somente três minutos vestindo a camisa oficial do RSC. Falo de Alessandro Tanaka, camisa 16 que entrou ao final do jogo entre RSC 0 x 0 Cuiabá pela Copa Verde, no último domingo. O ambiente no ninho do periquito já não estava legal para o atleta estrela de Guajará-mirim, ontem, segunda-feira entornou de vez.
E, agora à tarde o rápido atacante Tanaka, entrou em acordo com a diretoria do clube, e deu adeus ao RSC. Agora vem a surpresa maior. Sabe para onde voa o Tanaka, ou melhor, sai do ninho do periquito e vai para o Acre, isso mesmo o novo clube será no estado do Acre. E quem pensava no Tanaka no Galo da BR, tire o cavalo da chuva.
O blog chegou a conversar com Eder Marques, um dos diretores do Jipa, e ele assim se expressou: "Luis, na verdade era intenção da gente trazer o Tanaka para cá, como foi um acordo amigável e ele resolveu ir para o Acre, que seja feliz não vamos entrar em leilão". (Tanaka deixou o RSC nesta terça(7), vai para o Acre)