Pular para o conteúdo principal

Feminino 2014: SC Genus é Campeã fora de casa

Tenho acompanhado o futebol rondoniense desde 1992. De lá pra cá lá se vão 22 anos, lógico que falo do masculino. Mas, e as mulheres - as mulheres desde 2008 -, fui buscar na memória do amigo Alexandre Almeida se naquela oportunidade o Genus que fez ótima participação na Copa do Brasil teria ganho o campeonato para representar o estado de Rondônia.

Pois bem, como vem ocorrendo quase todo ano com o Aurigrená, naquela oportunidade apresentou-se como único pretendente à vaga. E foram lá, bravas meninas chegando a ficar entre as 8 melhores do Brasil. De lá para cá sempre tem dois times que disputam uma vaga, um ano vai o Juventude, outro foi o Santos - sim, este formou um timaço -, inclusive com meninas de fora de Rondônia.

De repente vem o Espigão d'Oeste, formam um timaço ganham o direito de representar o estado na Copa. Perdem o jogo em casa, mas tem o jogo fora. Não passam de fase, mas o time é bom e o melhor cria-se um movimento de futebol feminino no belo município do cone sul. Vem o presente ano e cadê times para disputarem o direito de partcipar de uma Copa do Brasil.

Ah, quatro equipes inscreveram-se junto à FFER. O Genus, REC e Ariquemes - Genus com praticamente o mesmo time que acabara de ser vice-campeão da Recopa Genus; REC com uma parceria forte junto a AD Fenix, campeãs da Recopa já citada e o Ariquemes FC, com nada mais nada menos do que 90% do Juventude da capital -, e o Espigão.

Espigão com um time 100% do município, daqui lembro de Geice, Paula, Cris, Núbia, enfim uma gama de garotas boas de bola e que teem muito futuro. E, do campeão. Que dizer do SC Genus!

Ora, comecei essas mal traçadas falando do futebol masculino. Serei bem curto para dizer que somente um time conseguiu levantar um caneco em nível estadual, e foi lá em 2002 com o CFA. Com um detalhe - em casa, no velho Aluizão.

Enquanto isso, coube a essas belas moças viajarem 539 km de Porto Velho a Espigão - e quase não viajam -, não fosse o dinamismo de uma Viviane. Depois eu conto com detalhes. Então, vem o plano de jogo elaborado por Lion Silva e Silvana que resolveram abafar a saida de bola do Espigão, a coisa deu tao certo que nos primeiros minutos de jogo o Genus já merecia ter aberto o placar.

Coube então a pequena Isamara, aos 12min numa bobeira da zaga espigoense colocar nos fundos das redes de Cris. O Espigão então acordou. Empurrado por 99% da torcida no Luizinho Turatti e, após o tempo técnico veio empatar o jogo ainda no 1º tempo, com a atleta Profª que voltava a atuar depois de cumprir suspensão automática. Fim do 1º tempo: Espigão 1 x 1 Genus.

No segundo tempo o time azulão do técnico Brender Nogueira, voltou mais atiçado. E quem pensou que o Genus entregou-se, errou por completo - via-se o técnico Lion arrancando os cabelos, querendo o segundo gol -, o Espigão por seu lado foi esvaindo as forças e parecia contentar-se com os prováveis pênaltis.

A partida já se encaminhava para o final, o árbitro acrescentou 3min. E, na última volta do ponteiro como frisou Vivaldo Filho, ótimo narrador da Rádio Sociedade. O Genus atacando e Lion querendo o gol, escanteio em favor do Genus. Angelina cobra, a goleira Cris espalma para frente, Winnie chuta a goleira defende e na volta Michele empurra para dentro do gol, era o gol do título.

Até porque com 2 a 1 em seu favor, mesmo que o Espigão empatasse ainda assim dava Genus. Dai até o árbitro Lindomar Kuhn apitar o final do jogo, foi sair a pleno pulmões das moças do Genus o grito de: é Campeão, é Campeão!

Vale registrar o reconhecimento das meninas do Espigão que parabenizaram ao Genus pela conquista. Assim como a torcida presente, que portou-se muito bem com as visitantes.




Comentários

  1. Merecida Vitoria do Genus , vi de perto o esforços das meninas em correr atras de campo pra treinar , cheguei a ver elas Treinar no meio da escuridão do Estadio (Desrrespeito Total com o futebol feminino) nem se quer ligaram as Luzes do campo pras meninas Treinarem, Mais isso não abalou elas não , como elas sao Guerreiras Treinaram no Escuro mesmo ... Treinaram debaixo de Chuva Forte ... e em cima da hora , quase que nao foram para a final , porque nao tinham mais o onibus .. conseguiram uma Van Pequena pra ir ! e So sei elogiar a Garra e a Raça dessas Garotas .. Mostraram o futebol Bonito que o Genus feminino tem ... Parabens Meninas .. E CAMPEÃOOOOOOOOO !

    ResponderExcluir
  2. Valeu obgd pelo acesso! Sou fã do futebol feminino...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Rondoniense de 17 anos vai disputar o concorrido Sub-20 em SP

Olha que notícia maravilhosa. Vem daqui de perto do distrito de Jaci-Paraná, a 80 km de Porto Velho, um filho do distrito chamado Jardson Medeiros, zagueiro de 1,85 m com 17 anos, pé esquerdo, pelo visto um prodígio - na acepção da palavra -, daqueles com habilidades próprias para pessoas com mais idade.
Acompanhe o histórico de Jardson: foi bicampeão da copa treze sub-15 pelo Avaí-PVH; em 2015 disputou o sub-16 pelo SC Genus; já o ano passado foi campeão do Interdistrital pela seleção de Jaci-Paraná, quando foi muito elogiado pela postura em campo e personalidade.
Desta temporada o garoto começou a viajar. Entenda-se viajando para fazer o que mais gosta, e sabe fazer. Foi para Confins-MG, disputou o campeonato mineiro sub-17 pelo Bonsucesso EC, sucesso garantido seu time foi eliminado na semifinal mineira. Algumas equipes de base da terra de Tiradentes tentaram ficar com o zagueiro.
Porém, seu destino acabou sendo São Paulo, primeiro jogou pelo Osvaldo Cruz FC, interior paulista. Ao vol…

Tanaka faz acordo amigável e dá adeus ao Periquito

Foram somente três minutos vestindo a camisa oficial do RSC. Falo de Alessandro Tanaka, camisa 16 que entrou ao final do jogo entre RSC 0 x 0 Cuiabá pela Copa Verde, no último domingo. O ambiente no ninho do periquito já não estava legal para o atleta estrela de Guajará-mirim, ontem, segunda-feira entornou de vez.
E, agora à tarde o rápido atacante Tanaka, entrou em acordo com a diretoria do clube, e deu adeus ao RSC. Agora vem a surpresa maior. Sabe para onde voa o Tanaka, ou melhor, sai do ninho do periquito e vai para o Acre, isso mesmo o novo clube será no estado do Acre. E quem pensava no Tanaka no Galo da BR, tire o cavalo da chuva.
O blog chegou a conversar com Eder Marques, um dos diretores do Jipa, e ele assim se expressou: "Luis, na verdade era intenção da gente trazer o Tanaka para cá, como foi um acordo amigável e ele resolveu ir para o Acre, que seja feliz não vamos entrar em leilão". (Tanaka deixou o RSC nesta terça(7), vai para o Acre)

Ariel Mamede e Welmer Bueno, juntos na mesma equipe

É isso mesmo, o mundo do futebol gira rápido demais. Assim como o mundo da política, da economia e das fofocas. Assim foi com o amigo e técnico de futebol Ariel Mamede, saiu daqui de Porto Velho-RO com um pé na taça de campeão-2016, e uma das mãos já levantando a mesma. Antes disso saiu do também RSC o dirigente Welmer Bueno, ambos retornaram ao estado de Goiás.
Enquanto Ariel foi dirigir um time goiano querendo subir da segunda divisão para a primeira, Welmer Bueno voltou para "seu" Vila Nova, no comando administrativo das divisões de base. Nesta copinha que ainda está rolando a bola, o que aconteceu: o Vila saiu de Goiás com status da melhor equipe do paraíso verde na categoria, acabou caindo na fase de grupos.
Enquanto o maior rival do Vila Nova, o Atlético Clube Goianiense ora dirigido por Ariel passou de fase. E aí vem as raquetadas da vida, neste sábado(14) o Vila Nova dispensa Lucas Oliveira, e foi buscar no Dragão o jovem comandante de lá. E agora estarão juntos em um …