sexta-feira, 13 de março de 2015

Proposta para alavancar o futebol de Rondônia!

Faltam 23 dias para o início do XXV Campeonato Rondoniense de Futebol. Desde novembro do ano passado a FFER realizou o Congresso Técnico ou Arbitral, a partir daquele momento os ditos representantes dos clubes já sabiam as regras do jogo. De lá para cá, aconteceu aprovação do Balanço Anual da mentora, houve aumento do prazo para entrega de Laudos.

Tudo isso aos olhos dos dirigentes "profissionais". Neste ínterim o campeoníssimo Vilhena EC, participou da Copa SP, perdeu e empatou na Copa Verde, empatou o jogo de ida da Copa do BR. E os dirigentes "profissionais", reclamando da vida. Esperando talvez algumas migalhas de um empresário de alma boa.

Ai o tempo passa, o momento de a bola rolar chega mais próximo e os dirigentes "profissionais" começam a se deseperar. Sem pensar nas consequências futuras para seus clubes, desrespeitando os patrocinadores oficiais do Campeonato, a própria FFER e, principalmente seus torcedores. Elaboram ofícios à FFER desistindo do Campeonato e, ainda falam que voltam no próximo ano.

Pensando nisso o Blogueiro elaborou a seguinte proposta - claro que é difícil de se concretizar -, mas vai ai minha colaboração à FFER para dá uma alavancada neste futebol tão desrespeitado por dirigentes ditos "profissionais", que no fundo nem amador são.

Vamos lá

Acessei o site da CBF nesta quinta(12), e lí o seguinte título; Fomento ao Futebol - a CBF vem fomentando desde 2010 novas competições nas categorias: profissional, base e futebol feminino, fato. Em 2010, eram seis(6) organizadas pela CBF. Hoje, são 13, aumento de 117% em cinco anos - entre estas a Copa do Nordeste e Copa Verde.

Fazendo um paralelo com a FFER. Nestes últimos cinco anos a coisa mudou muito, lembro que a FFER já paga prêmios em dinheiro em pelo menos os últimos três anos. Lembram quando o prêmio era um automóvel zero km, e os times do interior bateram o pé queriam para eles também?

Sem contar uma parceria forte com uma grande empresa de transportes, que leva e trás os times e até árbitros de futebol. E sempre tem um pareceiro máster. Neste 2015 a premiação mudou, serão R$ 100 mil em espécie, além de taxas zero para arbitragem, e mais uma vez transportes e transmissões via TV com sinal em HDTV.

Afinal o que acontece com os ditos dirigentes "profissionais". Ah, eles querem a experiência, inteligência e perspicácia de um Heitor Costa, só pode. Esses dias li algo assim: "o futebol é essa pobreza, mas a FFER até antena parabólica e Sky tem". Ora, meu Deus queriam que a FFER tivesse sua sede embaixo das arquibancadas do Aluizão? Ou em outra hipótese, sendo despejada de um lugar para outro a cada 90 dias. 

Pois bem, ainda vou tirar um pouco do lombo dos ditos dirigentes "profissionais" a falta de estádios - isso é dever do Poder Público (Estadual ou Municipal) -, em oferecer o mínimo possível a seus representantes, e veja que todos os times levam o nome de seu munícipio.

O presidente da FFER está firme neste pequeno "complô"(grifo meu), e já afirmou: "quero qualidade e não quantidade, quem quiser abandonar a competição será punido conforme o ato". Agora uma reflexão nestas 24 competições já realizadas, das quais participo ativamente desde 1993.

Ora, já tivemos duas edições do rondoniense - uma com cinco(5) equipes e outra com quatro(4) -, aliás, nestas duas o Cruzeiro, isso mesmo o Cruzeiro do Loló conseguiu os dois únicos vices de sua história, coisa que o próprio site da FFER "engoliu" mas o Futebol do Norte e a Wikipédia me salvou.

Em 1996, participaram 5 equipes. Classificação final; 1º) Ji-Paraná com 21 pts, 2º) Cruzeiro com 11 pts, 3º) Grêmio com 10 pts, 4º) Ariquemes com 9 pts e 5º) U. Cacoalense com 5 pts. O Jipa faturou os dois turnos. Em 1998, participaram 4 equipes; 1º) Ji-Paraná com 12 pts, 2º) Cruzeiro com 8 pts, 3º) Guajará com 4 pts e 4º) Genus com 0. Mais uma vez o Galo da BR, venceu de cabo a rabo.(Fonte: Futebol do Norte)

Vamos com as cinco de 2015. Mas e onde está o item de alavancar o futebol cara-pálida?

Aqui

Eu presidente da FFER, considerando esta deficiência por parte de dirigentes "profissionais" faria um Mercosul do Futebol, na região norte. Como?

Com as cinco equipes que restaram, ou quatro, convidaria uma de Humaitá-AM e duas de Rio Branco-AC. Essas equipes devido a distância encaixariam perfeitamente no campeonato local. Com direito a representar o estado de RO, claro nas competições em nível Brasil.

Sei que parece utopia e é, mas não custa nada sonhar. As taxas de transferências seriam isentas, os convidados teriam as mesmas regalias dos times daqui, fortaleceria o futebol da região norte - o presidente da FCF (federação cearense de futebol, amigo do Heitor), está fazendo uma revolução em termos de Copa do Nordeste. Com ele ainda não fechou; PE e BA, e ele é bem franco em dizer "temos que fortalecer o futebol do norte e nordeste, sul e sudeste estão se lixando pra nós".

É um passo. O primeiro, aceito sugestões!!!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sub-20: DCO/FFER altera dois jogos

Em função de solicitação de clubes mandantes,e em tempo hábil o DCO/FFER mexeu em dois jogos da tabela do Sub-20, para 3ª e última rodada d...