Pular para o conteúdo principal

Bonita vitória Fernandinho

Sabe aquele jogo que muitos falam "em dois tempos distintos", pois este Genus e VEC parece que vão ser quatro - ou mais -, explico: os dois distintos já foram o de hoje(18), tem mais 90 minutos no próximo domingo(21), e do jeito que o Genus engrenou parece querer mais.

E o torcedor acreditou. Comparecimento em massa, todos os 700 ingressos vendidos e mais 230 entraram sem pagar, renda de R$ 11.000,00. Como é bonito o velho Aluizão lotado, e muitas famílias inclusive crianças. Parabéns!

E o jogo

O Genus começa atacando para o gol do Carmela Dutra. O cauteloso Pontin começa com Guarate na lateral direita e João Victor na lateral esquerda - sobrou o veterano Índio -, na frente da zaga ele sacou Xana e trouxe Vitão para o seu lugar - não comprometeu -, tinha ainda Jean e Dimas para fechar o ferrolho e Alex para o toque refinado.

Neste esquema, Claudemir Pontin anulou completamente o melhor jogador do lado do VEC, no caso Edilsinho, por outro lado até Kukau apareceu pouco. O atleta Tcharles também voltava para ajudar o meio de campo do Aurigrená, deixando efetivamente Fernandinho sozinho na frente.

Durou cerca de 15min esse jogo de paciência, de estudos por ambas equipes. Dos 15min aos 30min o VEC andou muito perto de abrir o placar. Aos 21min numa falta cobrada por Júnior que Dida colocou a escanteio, aos 28min Cabixi pegou uma bola de costas para o gol e virou, Dida adiantado mesmo assim graças à sua altura conseguiu mandar a escanteio.

Aos 33min bola levantada na área por Edilsinho, Dida veio por cima atropelou todo mundo inclusive o atacante Cabixi, que teve de sair de maca - mas voltou ao jogo normalmente. Aos 35min finalmente o Genus que estava acuado, começa a melhorar com o homem do gol Fernandinho. Goleiro Naldo coloca a escanteio.

Aos 37min falta perigosa em favor do Genus - saiu até amarelo para Rai (VEC) -, em cima de Tcharles já começa a aproximar com Fernandinho. Alex cobrou mal, na barreira. Aos 40min numa falha da boa defesa do VEC, que deixou a bola para o rápido Fernandinho - ah, Fernandinho adiantou muito -, caiu na velocidade. Não teve nem chances de reclamar pois o árbitro Figarela estava a dois metros dele. Daí mais 4min e mais 1min de acréscimos, 50min e zero a zero.

E vamos para a segunda etapa

Pelo lado do VEC nenhuma mudança no intervalo. Pontin saiu então da fase cautelosa, mas com responsa (como diria meu companheiro de arquibancada) e, coloca Pemaza na vaga de João Victor. Ora, o que queria Pontin. Com Pemaza, jogador forte, chuta bem de fora da área e levar pra cima de Jonathas do VEC.

Acertou em cheio o paranaense Pontin. Só dava Genus no segundo tempo, apareceu mais o futebol de Tcharles agora fazendo um verdadeiro pivô. E, Pivô com "p" maiúsculo, de causador, influenciador, é tanto que no final do primeiro tempo já havia influenciado  no cartão amarelo para Rai (lembram aos 37').

Pois bem, aos 12min o zagueirão Júnior foi para o banheiro mais cedo em função de provocar falta em cima de Tcharles. Aos 14min falta para o Genus, que Alex cobrou bem e Naldo espalmou a escanteio. Só dava Genus.

Aos 19min uma bela jogada de ataque do Genus, Tcharles o Pivô dominou no peito teve tempo de olhar e deu assim de bandeja para o lado direito, e disse faz Pemaza - sabe o que aconteceu? Nada. Nosso lépido atacante acertou a "orelha" da Kagiva. Ah seu Pemaza, fica para o próximo domingo(gritou meu companheiro de arquibancada).

Aos 21min jogada perfeita do Aurigrená, bola de pé em pé começou com Guarate que deu para Alex, este toca para Tcharles (olha o pivô ai), ele olhou para o Pemaza e pensou, agora vai pra Fernandinho - não sei se foi de calcanhar -, só vi meu amigo da arquibancada já gritando gol, antes da bola entrar. Esse Fernandinho voltou melhor do que antes, na saida do ótimo goleiro Naldo ele colocou rasteiro.

Vejam que o gol saiu antes da metade do 2º tempo. Pelo lado do VEC o técnico Alex Carioca ainda colocou Salatiel e depois Flávio, antes já havia colocado um zagueiro (Tuquinha) com a expulsão de Júnior. Ao final do jogo o craque Edilsinho dava graças por ter sido somente de um gol a derrota do VEC, ele reconheceu o poderio do Genus, principalmente após a expulsão de Junior.

Com relação a arbitragem

Mais um excelente trabalho do Arnoldo Figarela, o assistente número um Gilmar Holanda no mesmo nível, o mesmo não posso dizer do assistente dois Adailton Sousa que, aos 40min subiu a bandeira numa marcação de impedimento do atacante Tcharles - completamente errado o assistente -, deu aquele choque, espere um pouco amigo. O Tcharles abriu o verbo e levou amarelo. 

Melhores do jogo

Guarate, Fernandinho e Tcharles (Genus) e Naldo, Edilsinho e Carlinhos (VEC)


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Rondoniense de 17 anos vai disputar o concorrido Sub-20 em SP

Olha que notícia maravilhosa. Vem daqui de perto do distrito de Jaci-Paraná, a 80 km de Porto Velho, um filho do distrito chamado Jardson Medeiros, zagueiro de 1,85 m com 17 anos, pé esquerdo, pelo visto um prodígio - na acepção da palavra -, daqueles com habilidades próprias para pessoas com mais idade.
Acompanhe o histórico de Jardson: foi bicampeão da copa treze sub-15 pelo Avaí-PVH; em 2015 disputou o sub-16 pelo SC Genus; já o ano passado foi campeão do Interdistrital pela seleção de Jaci-Paraná, quando foi muito elogiado pela postura em campo e personalidade.
Desta temporada o garoto começou a viajar. Entenda-se viajando para fazer o que mais gosta, e sabe fazer. Foi para Confins-MG, disputou o campeonato mineiro sub-17 pelo Bonsucesso EC, sucesso garantido seu time foi eliminado na semifinal mineira. Algumas equipes de base da terra de Tiradentes tentaram ficar com o zagueiro.
Porém, seu destino acabou sendo São Paulo, primeiro jogou pelo Osvaldo Cruz FC, interior paulista. Ao vol…

Vila Nova FC - GO contrata dois do futebol rondoniense

Um é "veterano" dos seus 34 anos, mas a função talvez exija uma pessoa dessa estirpe, com formação superior em Ciências Contábeis; foi observador da base do próprio Vila Nova; trabalhou como Coordenador de Esportes e, portanto, na formação do Rondoniense SC onde sagrou-se campeão do 1º turno de 2016 no Periquito do Ulisses Guimarães - com às mãos nas costas -, depois saiu e foi especializar-se em Coaching na área esportiva, lá em Manaus-AM.
Falo de Welmer  Bueno(f), que já assumiu o cargo de Coordenador Geral da Base do Vila. Os objetivos traçados para o time goiano são alvissareiros e factiveis, senão vejamos: 1) tornar a base do Vila Nova, uma base profissional; 2) captar recursos financeiros para viabilizar todo o projeto; e 3) trabalhar a formação e liderança da equipe, captação de jogadores para a base, disciplina e compromisso. Falando em compromisso, a primeira grande batalha do Vila é a Copa SP com início dia 3 de janeiro próximo. (Welmer Bueno - reprodução/facebook)
A …

Tanaka faz acordo amigável e dá adeus ao Periquito

Foram somente três minutos vestindo a camisa oficial do RSC. Falo de Alessandro Tanaka, camisa 16 que entrou ao final do jogo entre RSC 0 x 0 Cuiabá pela Copa Verde, no último domingo. O ambiente no ninho do periquito já não estava legal para o atleta estrela de Guajará-mirim, ontem, segunda-feira entornou de vez.
E, agora à tarde o rápido atacante Tanaka, entrou em acordo com a diretoria do clube, e deu adeus ao RSC. Agora vem a surpresa maior. Sabe para onde voa o Tanaka, ou melhor, sai do ninho do periquito e vai para o Acre, isso mesmo o novo clube será no estado do Acre. E quem pensava no Tanaka no Galo da BR, tire o cavalo da chuva.
O blog chegou a conversar com Eder Marques, um dos diretores do Jipa, e ele assim se expressou: "Luis, na verdade era intenção da gente trazer o Tanaka para cá, como foi um acordo amigável e ele resolveu ir para o Acre, que seja feliz não vamos entrar em leilão". (Tanaka deixou o RSC nesta terça(7), vai para o Acre)