Pular para o conteúdo principal

Visitantes fazem o dever de casa

Última rodada do returno do rondoniense. Dois jogos concluídos, sem a famosa "zebra". Em Guajará o time local nem teve o gostinho de fazer um mísero gol nas redes adversárias, e olhe que foram 720 minutos de bola rolando em oito(8) jogos.

Neste sábado tinha até companheiros da Imprensa Esportiva, torcendo para sair um gol do GEC. Mas quem goleou mesmo foi o VEC, e que boa notícia com vários atletas vindos da base. Eu que sou um crítico de não darem vez à meninada, dessa vez tenho que elogiar. Final de jogo: GEC 0 x 4 VEC.

Em Ji-Paraná, esse "cabeçudo" tinha escrito que o velho Jipa de guerra não entregaria a rapadura tão fácil. Dito e feito, nos primeiros 15 minutos só deu Galo - será que a bola tivesse entrado em favor do Jipa -, a história seria diferente?

Não consigo entender a teimosia de Pontin entrar com Índio na ala-direita, num calorzão de 40ºC. Ora, já uma alteração evidente. O Jipa pregou, claro que o esforço foi muito grande e, no quesito preparo físico o Genus está bem entregue ao Marcelo.

Final de jogo em Ji-Paraná, vitória do Genus por 3 a 1. Muita reclamação por parte do Galo em relação ao gol de Fernandinho - minha opinião, também achei que ele estava bem adiantado -, mas o árbitro marcou um pênalti em favor do Jipa, feito por Xana - daqueles espíritas, ou seja, o atleta de costa fez -, será que foi?

Uma tarde atípica, onde os visitantes não foram nada gentis. Resta agora a(as) final(ais), sim porque se o Genus ganhar o returno, disputa a final do campeonato contra o próprio VEC.

Tomara que o pessoal do Genus saiba trabalhar essa final. Há muito tempo o time não chegava a essa situação. Eu lembrei de 2009, quando o time foi vice-campeão contra esse mesmo VEC, já o amigo Alexandre Almeida do Futebol do Norte lembrou do time de 2013 com o Profº Neneca. Prometo pesquisar mais.

Por enquanto lembrar que o primeiro jogo da final do returno será  na próxima quinta-feira(18), às 20h no Aluízio Ferreira. Frente a frente os dois melhores ataques e as respectivas melhores defesas: enquanto o VEC fez 12 gols no 1º turno e sua defesa tomou 3 gols, o Genus no mesmo período fez somente 2 gols e tomou o mesmo número de gols do adversário.

No returno o ataque do VEC caiu um pouco e fez "somente" 9 gols, e sua defesa tomou um gol. Já o Aurigrená teve um crescimento monstruoso com Fernandinho, Tcharlles e cia. Fizeram 9 gols, e a defensiva tomou um(1) o de pênalti contra o Jipa. Resumindo, VEC 21 gols assinalados e tomou 4, Genus 11 gols assinalados e tomou 4.

Façam suas apostas, senhores!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Rondoniense de 17 anos vai disputar o concorrido Sub-20 em SP

Olha que notícia maravilhosa. Vem daqui de perto do distrito de Jaci-Paraná, a 80 km de Porto Velho, um filho do distrito chamado Jardson Medeiros, zagueiro de 1,85 m com 17 anos, pé esquerdo, pelo visto um prodígio - na acepção da palavra -, daqueles com habilidades próprias para pessoas com mais idade.
Acompanhe o histórico de Jardson: foi bicampeão da copa treze sub-15 pelo Avaí-PVH; em 2015 disputou o sub-16 pelo SC Genus; já o ano passado foi campeão do Interdistrital pela seleção de Jaci-Paraná, quando foi muito elogiado pela postura em campo e personalidade.
Desta temporada o garoto começou a viajar. Entenda-se viajando para fazer o que mais gosta, e sabe fazer. Foi para Confins-MG, disputou o campeonato mineiro sub-17 pelo Bonsucesso EC, sucesso garantido seu time foi eliminado na semifinal mineira. Algumas equipes de base da terra de Tiradentes tentaram ficar com o zagueiro.
Porém, seu destino acabou sendo São Paulo, primeiro jogou pelo Osvaldo Cruz FC, interior paulista. Ao vol…

Vila Nova FC - GO contrata dois do futebol rondoniense

Um é "veterano" dos seus 34 anos, mas a função talvez exija uma pessoa dessa estirpe, com formação superior em Ciências Contábeis; foi observador da base do próprio Vila Nova; trabalhou como Coordenador de Esportes e, portanto, na formação do Rondoniense SC onde sagrou-se campeão do 1º turno de 2016 no Periquito do Ulisses Guimarães - com às mãos nas costas -, depois saiu e foi especializar-se em Coaching na área esportiva, lá em Manaus-AM.
Falo de Welmer  Bueno(f), que já assumiu o cargo de Coordenador Geral da Base do Vila. Os objetivos traçados para o time goiano são alvissareiros e factiveis, senão vejamos: 1) tornar a base do Vila Nova, uma base profissional; 2) captar recursos financeiros para viabilizar todo o projeto; e 3) trabalhar a formação e liderança da equipe, captação de jogadores para a base, disciplina e compromisso. Falando em compromisso, a primeira grande batalha do Vila é a Copa SP com início dia 3 de janeiro próximo. (Welmer Bueno - reprodução/facebook)
A …

Tanaka faz acordo amigável e dá adeus ao Periquito

Foram somente três minutos vestindo a camisa oficial do RSC. Falo de Alessandro Tanaka, camisa 16 que entrou ao final do jogo entre RSC 0 x 0 Cuiabá pela Copa Verde, no último domingo. O ambiente no ninho do periquito já não estava legal para o atleta estrela de Guajará-mirim, ontem, segunda-feira entornou de vez.
E, agora à tarde o rápido atacante Tanaka, entrou em acordo com a diretoria do clube, e deu adeus ao RSC. Agora vem a surpresa maior. Sabe para onde voa o Tanaka, ou melhor, sai do ninho do periquito e vai para o Acre, isso mesmo o novo clube será no estado do Acre. E quem pensava no Tanaka no Galo da BR, tire o cavalo da chuva.
O blog chegou a conversar com Eder Marques, um dos diretores do Jipa, e ele assim se expressou: "Luis, na verdade era intenção da gente trazer o Tanaka para cá, como foi um acordo amigável e ele resolveu ir para o Acre, que seja feliz não vamos entrar em leilão". (Tanaka deixou o RSC nesta terça(7), vai para o Acre)