Pular para o conteúdo principal

Não mexam que o Galo é de briga

Acabamos de chegar de Ji-Paraná - aliás a única equipe de esportes a acompanhar passo a passo -, os clubes da capital na disputa do estadual. A Rádio Globo AM esteve presente com: Naldo Dias e Luis Carlos Pereira ( Jipa 2 x 0 Genus), e na capital; Wolnei Alonso, João Dalmo e Edson ( RSC 2 x 0 Real).
(Naldo Dias entrevista Tiago Batizoco/Biancão)

Análise do jogo

Pra começo de conversa dizer que, do outro lado tinha um time aguerrido, querendo fazer bonito em casa, já que no jogo contra o Real deixou de ganhar três pontos por bobeira - falo do Ji-Paraná FC -, então o Genus estava sem garra, sem foco? Não, nada disso - mas que estava estranho, sim.

Uma situação de quase sair tapas entre dois atletas do Genus - o capitão Julio Cesar e o meia-atacante Rob -, coisa que eu ainda não havia presenciado no Genus. Ao final do jogo o técnico Claudemir Pontin justificava a atitude de seus comandados pelo calor do jogo.

E falando de técnicos: o jiparananese Batizoco, anulou a jogada forte do Genus - tanto travou as subidas de Guarate pela direita, como impediu o avanço do capitão Julio Cesar pela esquerda. Ele trouxe Douglas para a zaga, colocou Bala na frente da zaga e deixou flutuar Fernandinho e Rincon, na frente o rápido Lambari e Jailson.

O Genus teve em Luiz Alves na defesa o ponto fraco, Jean fazendo o papel do "beliscador" o homem que rouba a bola, entrega para Alex - este mais uma vez não estava nos melhores dias -, assim como Wellington e Pemaza, sempre um instante atrasado. Ou a defensiva do Jipa chegava antecipando.

Mas não foi mal no geral o Genus. Penso que faltou mais foco..., foco que sobrou no Galo da BR. Na segunda etapa então, com a entrada de Erick na vaga de Lambari e Eltinho na vaga de Bala - esse dois infernizaram o setor de meio do Genus e, claro o defensivo. Não lembro de defesa do goleiro Clebio(Jipa), nos 45 minutos finais.

Os melhores em campo

No time da casa, do goleiro ao ponta esquerda - não estaria exagerando - vou destacar uns quatro: Douglas, Rincon, Fernandinho e Erick.

Douglas voltou pra zaga, e ainda quase faz o seu gol de cabeça. Rincon pela experiência e o toque de bola. Erick entrou fez o seu e botou lenha na fogueira e Fernandinho, esse continua craque com mais um pouquinho de preparao físico seria titular absoluto de qualquer equipe daqui.

O SC Genus: Tiago Rocha, Vitão, Jean e Alex. Tiago continua fazendo das suas, salvou o Genus de não tomar mais. Vitão sempre seguro. Jean, foi um carrapato e Alex, mesmo não repetindo os bons jogos do ano passado, continua muito lúcido.

Fazer duas observações: na substituição do atleta Bala pelo Eltinho, ele Bala saiu fazendo gestos com a mão e este blogueiro achou que estava desrespeitando o comandante - mas fui avisado de que ele dizia que estava realmente muito quebrado.

Feito o registro, quero deixar claro que tanto o Bala em questão, como Jailson - eles dois trabalharam desde às 5h da manhã até de tarde -, trabalham num frigorífico e jogam à noite. São ou não guerreiros.

Ficha do jogo

Jipa jogou com: Clébio; Witalo, Douglas, Piquê e Ponês; Bala(Eltinho), Paulinho, Rincon e Fernandinho(Jr. Cabeça); Lambari(Erick) e Jailson. Téc. Tiago Batizoco

SC Genus com: Tiago Rocha; Guarate, Luiz Alves, Vitão e Julio Cesar; Carlinhos(Rob), Fernandinho(Tutti), Jean e Alex; Pemaza e Wellington. Téc. Tiago Batizoco

Os gols: Piquê (30'2ºT) e Erick (37'2ºT) 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Rondoniense de 17 anos vai disputar o concorrido Sub-20 em SP

Olha que notícia maravilhosa. Vem daqui de perto do distrito de Jaci-Paraná, a 80 km de Porto Velho, um filho do distrito chamado Jardson Medeiros, zagueiro de 1,85 m com 17 anos, pé esquerdo, pelo visto um prodígio - na acepção da palavra -, daqueles com habilidades próprias para pessoas com mais idade.
Acompanhe o histórico de Jardson: foi bicampeão da copa treze sub-15 pelo Avaí-PVH; em 2015 disputou o sub-16 pelo SC Genus; já o ano passado foi campeão do Interdistrital pela seleção de Jaci-Paraná, quando foi muito elogiado pela postura em campo e personalidade.
Desta temporada o garoto começou a viajar. Entenda-se viajando para fazer o que mais gosta, e sabe fazer. Foi para Confins-MG, disputou o campeonato mineiro sub-17 pelo Bonsucesso EC, sucesso garantido seu time foi eliminado na semifinal mineira. Algumas equipes de base da terra de Tiradentes tentaram ficar com o zagueiro.
Porém, seu destino acabou sendo São Paulo, primeiro jogou pelo Osvaldo Cruz FC, interior paulista. Ao vol…

Vila Nova FC - GO contrata dois do futebol rondoniense

Um é "veterano" dos seus 34 anos, mas a função talvez exija uma pessoa dessa estirpe, com formação superior em Ciências Contábeis; foi observador da base do próprio Vila Nova; trabalhou como Coordenador de Esportes e, portanto, na formação do Rondoniense SC onde sagrou-se campeão do 1º turno de 2016 no Periquito do Ulisses Guimarães - com às mãos nas costas -, depois saiu e foi especializar-se em Coaching na área esportiva, lá em Manaus-AM.
Falo de Welmer  Bueno(f), que já assumiu o cargo de Coordenador Geral da Base do Vila. Os objetivos traçados para o time goiano são alvissareiros e factiveis, senão vejamos: 1) tornar a base do Vila Nova, uma base profissional; 2) captar recursos financeiros para viabilizar todo o projeto; e 3) trabalhar a formação e liderança da equipe, captação de jogadores para a base, disciplina e compromisso. Falando em compromisso, a primeira grande batalha do Vila é a Copa SP com início dia 3 de janeiro próximo. (Welmer Bueno - reprodução/facebook)
A …

Tanaka faz acordo amigável e dá adeus ao Periquito

Foram somente três minutos vestindo a camisa oficial do RSC. Falo de Alessandro Tanaka, camisa 16 que entrou ao final do jogo entre RSC 0 x 0 Cuiabá pela Copa Verde, no último domingo. O ambiente no ninho do periquito já não estava legal para o atleta estrela de Guajará-mirim, ontem, segunda-feira entornou de vez.
E, agora à tarde o rápido atacante Tanaka, entrou em acordo com a diretoria do clube, e deu adeus ao RSC. Agora vem a surpresa maior. Sabe para onde voa o Tanaka, ou melhor, sai do ninho do periquito e vai para o Acre, isso mesmo o novo clube será no estado do Acre. E quem pensava no Tanaka no Galo da BR, tire o cavalo da chuva.
O blog chegou a conversar com Eder Marques, um dos diretores do Jipa, e ele assim se expressou: "Luis, na verdade era intenção da gente trazer o Tanaka para cá, como foi um acordo amigável e ele resolveu ir para o Acre, que seja feliz não vamos entrar em leilão". (Tanaka deixou o RSC nesta terça(7), vai para o Acre)