Pular para o conteúdo principal

RSC e Genus tudo igual!

RSC e Genus realizaram mais um jogo no velho Aluizão. Desta feita a 3ª rodada para o Periquito, e a 1ª para o Genus - este em função de está participando da Copa do Brasil -, o jogo de hoje pelo 2º turno do estadual.

Ah, não vou falar o trivial de dois tempos distintos. Prefiro falar das duas escalações, dos dois Profºs, enquanto o RSC estreava seu novo técnico Da Rocha, o Genus de Claudemir Pontin com várias alterações em relação aos dois jogos contra o ASA-AL e a Ponte Preta-SP.

Gostei da equipe do RSC, do primeiro jogo do returno contra o Jipa até o jogo de hoje contra o Genus já deu pra sentir alguma melhora. Melhora na marcação, na recomposição, os lançamentos do Quintino para o Viotto e para o Cássio, muitos deram resultados.

No restante do estadual como não pode mais contratar, o ideal seria um meia-esquerda para suprir a saída de André Jr., foi corajoso o Da Rocha com a entrada de: Robert, Lenno e Alesson de início, Marco Aurélio me parece bem a vontade na posição de pivô.

Na segunda etapa com a entrada de Fernandinho, o Periquito cresceu muito. Inclusive a abertura do placar partiu de iniciativa dele de cabeça deixando o goleirão Tiago Rocha fazer milagres - isso mesmo no plural -, pois ao final do jogo ele Tiago salvou outro gol certo e mandou a escanteio.

Pipa é um canhoto bom de bola, entrou também no jogo teve uma chance de se consagrar numa bola em profundidade para Marco Aurélio, porém, precipitou-se e botou muita força na bola. Dida sempre muito seguro, miolo da zaga com Dhonathan que saiu contundido e João Paulo muita segurança.

Os dois laterais não comprometeram, com maior altivez para Rafael Viotto. No meio Quintino e Michel Douglas se completam e, Lenno, Marco Aurélio e Robert jogaram bem. No intervalo do jogo, perguntei ao Da Rocha qual a nota ele daria ao time - resposta 7,5 penso que passaria com um 7.

E o Genus. Claudemir Pontin deu uma mexida geral, principalmente no meio-campo todo, de: Carlinhos, Fernandinho e Alex, ele colocou Xana, Jean e Rob - claro que haveria uma diferença -, e houve sim, não o que o exigente torcedor do Genus queria, mas o time se houve bem.

Todos três jogaram bem, principalmente o volante Xana que defende muito bem e, até arrisca alguns tiros ao gol. Rob trata muito bem a bola, já o camisa 8 Jean exagerou nas jogadas mais viris é tanto que pegou dois cartões amarelos e, logicamente o vermelho.

Tiago Rocha mais uma vez sai consagrado do gramado do Aluizão. Tcharles muito bem marcado não teve oportunidades de encarar frente-à-frente o goleirão Dida, a não ser numa jogada em que ele foi fintado pelo goleiro, e deixou o cotovelo. Já tinha um amarelo por reclamação, e quase vai ao chuveiro mais cedo.

Por falar em arbitragem, já fica quase lugar-comum elogiar o árbitro Arnoldo Figarela, cada dia melhor: seguro, corre em cima do lance, não estraga "amarelos" e quando aplica um vermelho é porque não dava para relevar.

Os dois assistentes: Gilmar Holanda (1) e Adailton Souza (2) no mesmo padrão Figarela. Quem andou destoando do trio foi o 4º árbitro Túlio Nells Sobreira - pois não é que o Túlio foi até o banco de reservas do RSC, e solicitou a saída de lá do assistente técnico Elias Santana -, motivo:

Segundo informações (com a nova regra o auxiliar técnico) não pode permanecer na área técnica. Não Profº junto ao banco podem ficar: o técnico, auxiliar técnico, médico, preparador físico, massagista, preparador de goleiros, além de 12 suplentes (a não ser que ele não estivesse realcionado).

Sendo assim, como explicar esses dois da foto que ficam juntinhos até para fazer uma substituição.
(Zinho e Jorginho - Créditos Globo esporte)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Rondoniense de 17 anos vai disputar o concorrido Sub-20 em SP

Olha que notícia maravilhosa. Vem daqui de perto do distrito de Jaci-Paraná, a 80 km de Porto Velho, um filho do distrito chamado Jardson Medeiros, zagueiro de 1,85 m com 17 anos, pé esquerdo, pelo visto um prodígio - na acepção da palavra -, daqueles com habilidades próprias para pessoas com mais idade.
Acompanhe o histórico de Jardson: foi bicampeão da copa treze sub-15 pelo Avaí-PVH; em 2015 disputou o sub-16 pelo SC Genus; já o ano passado foi campeão do Interdistrital pela seleção de Jaci-Paraná, quando foi muito elogiado pela postura em campo e personalidade.
Desta temporada o garoto começou a viajar. Entenda-se viajando para fazer o que mais gosta, e sabe fazer. Foi para Confins-MG, disputou o campeonato mineiro sub-17 pelo Bonsucesso EC, sucesso garantido seu time foi eliminado na semifinal mineira. Algumas equipes de base da terra de Tiradentes tentaram ficar com o zagueiro.
Porém, seu destino acabou sendo São Paulo, primeiro jogou pelo Osvaldo Cruz FC, interior paulista. Ao vol…

Tanaka faz acordo amigável e dá adeus ao Periquito

Foram somente três minutos vestindo a camisa oficial do RSC. Falo de Alessandro Tanaka, camisa 16 que entrou ao final do jogo entre RSC 0 x 0 Cuiabá pela Copa Verde, no último domingo. O ambiente no ninho do periquito já não estava legal para o atleta estrela de Guajará-mirim, ontem, segunda-feira entornou de vez.
E, agora à tarde o rápido atacante Tanaka, entrou em acordo com a diretoria do clube, e deu adeus ao RSC. Agora vem a surpresa maior. Sabe para onde voa o Tanaka, ou melhor, sai do ninho do periquito e vai para o Acre, isso mesmo o novo clube será no estado do Acre. E quem pensava no Tanaka no Galo da BR, tire o cavalo da chuva.
O blog chegou a conversar com Eder Marques, um dos diretores do Jipa, e ele assim se expressou: "Luis, na verdade era intenção da gente trazer o Tanaka para cá, como foi um acordo amigável e ele resolveu ir para o Acre, que seja feliz não vamos entrar em leilão". (Tanaka deixou o RSC nesta terça(7), vai para o Acre)

Ariel Mamede e Welmer Bueno, juntos na mesma equipe

É isso mesmo, o mundo do futebol gira rápido demais. Assim como o mundo da política, da economia e das fofocas. Assim foi com o amigo e técnico de futebol Ariel Mamede, saiu daqui de Porto Velho-RO com um pé na taça de campeão-2016, e uma das mãos já levantando a mesma. Antes disso saiu do também RSC o dirigente Welmer Bueno, ambos retornaram ao estado de Goiás.
Enquanto Ariel foi dirigir um time goiano querendo subir da segunda divisão para a primeira, Welmer Bueno voltou para "seu" Vila Nova, no comando administrativo das divisões de base. Nesta copinha que ainda está rolando a bola, o que aconteceu: o Vila saiu de Goiás com status da melhor equipe do paraíso verde na categoria, acabou caindo na fase de grupos.
Enquanto o maior rival do Vila Nova, o Atlético Clube Goianiense ora dirigido por Ariel passou de fase. E aí vem as raquetadas da vida, neste sábado(14) o Vila Nova dispensa Lucas Oliveira, e foi buscar no Dragão o jovem comandante de lá. E agora estarão juntos em um …