Pular para o conteúdo principal

Genus passou 63 minutos na 1ª colocação, e termina em 3º

É uma partida de futebol, como falam os poetas Samuel Rosa e Nando Reis na música de mesmo nome: bola na trave não altera o placar - só nesse quesito poderia ter sido 2 a 1 Atlético -, aliás o Genus começou poderoso pra cima do Galo acriano; Tcharles voltou a jogar bem, Wellington muito produtivo, Fernandinho, Alex, Luciano Mourão todos dentro de um padrão bom de jogo.

É tanto que o aurigrená da capital rondoniense abriu o placar aos 32' com Alex em cobrança de pênalti, marcado pelo atrapalhado árbitro Sr. Alinor - afinal houve sim a falta máxima em cima do Wellington - mas, a indicação de penalidade atrapalhou até quem estava narrando, ou acompanhando o jogo assim como eu.

O meio campo é lugar dos craques..., que vão levando o time todo pro ataque..., do lado do Atlético destaco dois: Josy e Polaco - o que esses dois jogam não é brincadeira -, do lado do Genus: Alex e Luciano Mourão - ora o técnico perde logo os dois; Alex (expulso por um critério maluco do Sr. Alinor) e o Mourão (por desgaste físico) e ai, quem saiu ganhando com essas baixas.

Ora se o Atlético já tinha o domínio das ações. Se o goleiro Franco não sujou o material na segunda etapa - porque o Alex foi expulso aos 18' do segundo tempo -, quer dizer o gol de empate do Atlético somente aconteceu após o Sr. Alinor ter acrescentando 4' minutos. E aos 49' Eduardo com certa categoria, colocou a bola no canto esquerdo rasteiro do goleirão Tiago Rocha (contínua um baita de um goleiro).

Aqui pra nós: esse timaço do Atlético foi um dos melhores que já vi na atual Série D, o Genus esteve por exatos 63' na primeira colocação do grupo A-1, terminou em terceiro - explico os 63' -, o gol do Alex foi aos 32' com mais 14' já que o Sr. Alinor acresceu UM no 1º tempo. Então 14' mais 49' do segundo tempo, nosso aurigrená ficou no topo com 6 pontos.

De repente toma o gol do empate e desce para a 3ª colocação abaixo do Nacional-AM, os dois com 4 pontos mas o Naça tem ZERO gols de saldo e o Genus menos UM.

Isso é uma partida de futebol..., próximo domingo dia 3 de julho os jogos da volta. Dá pra classificar? Sim, temos 9 pontos em disputa. Quem sabe beliscar uma segunda colocação entre os 15.

Deixo registrado a atitude (ótima por sinal), das torcidas: do Genus como mandante e do pessoal do Atlético-AC, numa verdadeira confraternização ambas unidas e tirando as famosas selfies. 
(Torcidas: Genus e Atlético - Selfies)

(Torcida Sangue Azul do Atlético-AC)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Rondoniense de 17 anos vai disputar o concorrido Sub-20 em SP

Olha que notícia maravilhosa. Vem daqui de perto do distrito de Jaci-Paraná, a 80 km de Porto Velho, um filho do distrito chamado Jardson Medeiros, zagueiro de 1,85 m com 17 anos, pé esquerdo, pelo visto um prodígio - na acepção da palavra -, daqueles com habilidades próprias para pessoas com mais idade.
Acompanhe o histórico de Jardson: foi bicampeão da copa treze sub-15 pelo Avaí-PVH; em 2015 disputou o sub-16 pelo SC Genus; já o ano passado foi campeão do Interdistrital pela seleção de Jaci-Paraná, quando foi muito elogiado pela postura em campo e personalidade.
Desta temporada o garoto começou a viajar. Entenda-se viajando para fazer o que mais gosta, e sabe fazer. Foi para Confins-MG, disputou o campeonato mineiro sub-17 pelo Bonsucesso EC, sucesso garantido seu time foi eliminado na semifinal mineira. Algumas equipes de base da terra de Tiradentes tentaram ficar com o zagueiro.
Porém, seu destino acabou sendo São Paulo, primeiro jogou pelo Osvaldo Cruz FC, interior paulista. Ao vol…

Atacante Gabriel Henrique está de partida do SC Genus

Virada do ano já começa bem movimentado pelo lado do time Aurigrená da Capital. Primeiro a polêmica das camisas para 2018, com dois escudos: Genus/Avaí, e hoje(2/jan) a desistência do ótimo atacante Gabriel Henrique, 21 anos, que recebeu uma proposta muito boa de Alagoas.
O novo time de Gabriel chama-se Santa Rita, é da cidade de Boca da Mata e fundado em 25/05/1974. O atleta estava com pré-contrato com SC Genus, para o ano de 2018. (Gabriel Henrique está saindo do Genus - foto: Fanpage do Clube)

Tanaka faz acordo amigável e dá adeus ao Periquito

Foram somente três minutos vestindo a camisa oficial do RSC. Falo de Alessandro Tanaka, camisa 16 que entrou ao final do jogo entre RSC 0 x 0 Cuiabá pela Copa Verde, no último domingo. O ambiente no ninho do periquito já não estava legal para o atleta estrela de Guajará-mirim, ontem, segunda-feira entornou de vez.
E, agora à tarde o rápido atacante Tanaka, entrou em acordo com a diretoria do clube, e deu adeus ao RSC. Agora vem a surpresa maior. Sabe para onde voa o Tanaka, ou melhor, sai do ninho do periquito e vai para o Acre, isso mesmo o novo clube será no estado do Acre. E quem pensava no Tanaka no Galo da BR, tire o cavalo da chuva.
O blog chegou a conversar com Eder Marques, um dos diretores do Jipa, e ele assim se expressou: "Luis, na verdade era intenção da gente trazer o Tanaka para cá, como foi um acordo amigável e ele resolveu ir para o Acre, que seja feliz não vamos entrar em leilão". (Tanaka deixou o RSC nesta terça(7), vai para o Acre)