quinta-feira, 23 de março de 2017

De bola parada, Marco Aurélio faz dois e deixa o Real no topo

Jogão de bola para fechar a segunda rodada do rondoniense-17. Real Ariquemes que vinha de 10 dias se cuidando pra isso e, o Rondoniense que vinha de viajem estafante, de uma belíssima classificação na Copa Verde em Cuiabá-MT.

O Real mesmo com essa longa preparação, entrou em campo com quatro desfalques. Por outro lado tinha meio time ex-RSC doido pra entrar em campo e mostrar serviço, tinha por lá: Dida, Cássio, Rafael Vioto, André Jr e Marco Aurélio, todos ótimos jogadores.

Começa o jogo. O Real valendo-se da condição de mandante começa pressionando o Periquito. Mas o RSC não se intimida. Quem começa a se intimidar é o juizão, veterano Jurandir Lico com marcações de faltas sem a menor necessidade. O Bochecha experiente e cheio de jinga, começa a levar pra cima do Paulão, ou do Dhonathan. Era a bola parada que o canhota queria pra si.

Será que não foram alertados pra isso? Aos 11' naquela de pegar a bola de costa para seu marcador e girar, vai ai que um sopro qualquer Bochecha se esparrama - tá certo ele -, falta. E quem vem pra cobrança, claro que ele o M.9 como quer ficar conhecido, nesta segunda passagem nas terras de Rondon. Falta bem cobrada com força, sem chances para o bom goleiro Biro. Real 1 x 0 RSC.

O Periquito estava numa noite boa. Cresceu pra cima do Real, e aos 20' após bela troca de passes pela direito de seu ataque, Cabelo levanta a bola para a área e encontra a cabeça de Careca - o chamado gol ecológico -, numa química perfeita; cabelo, careca e gol. Era o empate do time Periquito. Real 1 x 1 RSC.

E ai vem a história do "se", onde no futebol quase sempre não prevalece. Explico: se o primeiro tempo terminasse em 1 a 1, como seria o segundo. Se o juizão não fosse na onda do Marco Aurélio e, se não apitasse aquela falta aos 38' no semicírculo da grande área, ficaria no 1 a 1.

Dali para o Marco Aurélio M.9 é considerado um pênalti, dessa vez o ídolo do rubro-negro do Vale do Jamari colocou no ângulo alto lado esquerdo do gol de Biro, com tanta perfeição que, se vocês observarem a foto do Glerisson Sousa, verão10 atletas do RSC na barreira, ou seja, o time todo. Fim do primeiro tempo: Real 2 x 1 RSC.
(2º gol do M.9 para o Real foi uma pintura - foto: Glerisson Sousa)

Para a segunda etapa, o técnico Elias do RSC já teve que fazer uma mexida forçada - em função de contusão do Quintino, ele colocou Elvis e trouxe o Paulão para a zaga -, Elvis entrou bem não comprometeu. Kelvin na vaga do Alesson e Fernandinho no lugar do Pemaza. Parece que o Fernandinho demorou muito a entrar.

Já o PC Alencar do Real, tirou Júnior Porto cansado e entrou Eduardo Bill, André Jr deu lugar ao Leleco ( os dois estreantes da noite, assim como Rafael Viotto) e Augusto César deu lugar a Vágner Junior.

Os últimos 45' nem chegou perto da primeira metade do jogo, porém, o torcedor exigente do Real pediu mais gol. Que não aconteceu, em certos momentos pelas defesas dos dois goleiros e até a trave andou ajudando o "São Dida" do Real.

Público pagante de 465 espectadores para R$ 6.940,00. O Real Ariquemes encostou no líder Barcelona os dois com 6 pontos ganhos e o RSC é o 3º colocado. Próximo domingo,26, o Real vai ao Biancão se atracar com o Galo, e o Periquito vai conhecer a força do Índio Zonoecê aqui no Aluizão. Os dois jogos na "lua" das 16h.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Futebol de Base: Ji-Paraná conquista Sub-13 e Sub-15

Quando se trata de futebol, o município de Ji-Paraná realmente é um fenômeno. Terminou neste domingo(15), mais duas competições com o aval ...