Pular para o conteúdo principal

Genus e RSC: Tabu já era!

Aconteceu gente. No futebol essa coisa de tabu às vezes dura um pouco, outras não dura um ano. A disputa entre Rondoniense e Genus estava por ai. Exatos sete jogos e meio, verdade que neste domingo(14), era o oitavo encontro dos dois.

Precisou de 45 minutos para o Genus conseguir a primeira vitória em cima de seu rival. Agora em 8 jogos: 2 vitórias do RSC, 1 vitória do Genus e 5 empates. Mas, e como foi esse 8º encontro entre os dois.

O Genus vinha de uma derrota dentro de casa, para o VEC. Uma semana de preparativos onde houve até mudança no sistema tático, Mirandinha resolveu tirar o pivô Eduardo Rato e colocou Leivinha de volta ao time, na verdade fazendo o papel de segundo volante junto ao Marcão.

O time ficou assim num 4-4-2: Charles, Vagner Léo, Fábio Gomes e Hurtado; Marcão, Leivinha, Luciano Mourão e Luan Fernando, e na frente Tcharles e Gabriel. Pronto era a senha para enfrentar um RSC cheio de interrogações, a começar por dois alas completamente diferentes de Hércules e Marquinhos Carioca.

Quando falo em interrogações, desmotivados, não quero de maneira nenhuma diminuir o feito do Genus. O que se viu nos primeiros 45 minutos foi um jogo equilibrado, cheio de virilidades mais por parte do miolo da zaga do RSC, é tanto que Dhonathan e Bruno Braúna foram amarelados neste espaço de tempo. O zagueirão Dhonathan saiu aos 27' contundido, e já tinha sido "premiado" pelo árbitro Caio Cazuza.

O Elias assim como 99,9% dos técnicos no Brasil, é cabeça dura e não sai do sistema tático que vem aplicando nem a pau - falo do sistema que ele aplicou na Copa Verde -, mas que agora com a revoada de vários componentes, o time tenta jogar do mesmo jeito. Ah, e com um detalhe ficaram de fora: Hércules, Fernandinho, Quintino, Careca e Elvis.

Hoje ele entrou com Weslei na vaga do Hércules - e foi por lá que o Genus deitou e rolou - aliás, o colombiano Hurtado, dos pés dele sairam os dois gols do Genus. Sem querer queimar o garoto Weslei, e também o Hércules poderia não está 100%. Na lateral esquerda ele entrou com Pablo, bom trabalho do garoto.

Cabelo e Brunão os dois volantes, Brunão com características totalmente diferente do Paulão, mas não comprometeu. Cabelo, hoje foi no linguajar do futebol muito pressionado. Pither na armação sozinho e, na frente Alesson, Pemaza e Tanaka. Confere que ele usou o mesmo 4-3-3 com outros elementos, e não havia uma proteção aos alas?

Ora, um primeiro tempo de um zero a zero onde Tcharles teve chance, Gabriel   também e pelo lado do RSC tivemos com; Alesson, Pemaza e Tanaka. No segundo tempo, o Genus voltou mais acesso, parece que a instrução do técnico Mirandinha - que ficou do alambrado o tempo todo - foi de: explorar o lado direito do RSC.

Aos 12' numa bela jogada de Hurtado com a bola dominada, ele olhou para o meio da zaga do RSC e colocou a bola na cabeça de Luciano Mourão. Este com extrema categoria cabeçou para o chão, era o primeiro do Genus.

O aurigrená sentia que o dia era hoje. Elias chegou a colocar Careca e Índio nas vagas de Alesson e Pemaza, melhorou o poder de ataque em função do sangue novo. Porém, o time sentia falta de criação, de quem pudesse deixar um desses dois na cara do gol. Penso que o Elvis seria essa peça.

O Genus mudou: saiu Gabriel e entrou Geovane, um pouquinho antes Luciano Mourão deu vaga ao Leandro. A toada era essa o RSC tentava, tentava e sem êxito. O Genus tinha mais sucesso em suas triangulações numa dessas e lá pelo lado esquerdo do aurigrená, Luan, Geovane e Hurtado - esse foi a linha de fundo e cruzou rasteiro, Tcharles esticou o pé e colocou a bola no fundo da rede de Biro.
(Tcharles se estica e coloca no fundo da rede do RSC - créd: Alexandre Almeida)

Era passado 37' de jogo. Tcharles correu para o abraço do seu torcedor e dos companheiros de equipe. Estava encerrado um tabu que durou exatos 7,5 jogos. Aliás, uma boa nota pra quem entrou ligado nos três pontos. Só não poderia dar empate no clássico.

Os resultados da 4ª rodada

Jipa 5 x 0 GEC
VEC 0 x 0 Barça
Ariq. 0 x 0 Real
RSC 0 x 2 Genus

Classificação Geral

1º) Barça 23 pts
2º) Real 23 pts
3º) VEC 15 pts
4º) Genus 15 pts
5º) RSC 13 pts
6º) Jipa 12 pts
7º) Ariq. 12 pts
8º) GEC 01 pts

Estariam na semifinal, se o campeonato tivesse terminado neste domingo, os quatro primeiros colocados. (*)

(*) retificando, antes que o pessoal do jipa me mande um galo. Se o 2º turno tivesse terminado nesse domingo, a classificação ficaria.

1º) Jipa 07 pts
2º) VEC 07 pts
3º) Barça 07 pts
4º) Genus 07 pts

E os quatro semifinalistas seriam

Real (vencedor do 1º turno)
Jipa (vencedor do 2º turno)
Barça (maior número de pontos)
VEC (segundo melhor número de pontos)




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Rondoniense de 17 anos vai disputar o concorrido Sub-20 em SP

Olha que notícia maravilhosa. Vem daqui de perto do distrito de Jaci-Paraná, a 80 km de Porto Velho, um filho do distrito chamado Jardson Medeiros, zagueiro de 1,85 m com 17 anos, pé esquerdo, pelo visto um prodígio - na acepção da palavra -, daqueles com habilidades próprias para pessoas com mais idade.
Acompanhe o histórico de Jardson: foi bicampeão da copa treze sub-15 pelo Avaí-PVH; em 2015 disputou o sub-16 pelo SC Genus; já o ano passado foi campeão do Interdistrital pela seleção de Jaci-Paraná, quando foi muito elogiado pela postura em campo e personalidade.
Desta temporada o garoto começou a viajar. Entenda-se viajando para fazer o que mais gosta, e sabe fazer. Foi para Confins-MG, disputou o campeonato mineiro sub-17 pelo Bonsucesso EC, sucesso garantido seu time foi eliminado na semifinal mineira. Algumas equipes de base da terra de Tiradentes tentaram ficar com o zagueiro.
Porém, seu destino acabou sendo São Paulo, primeiro jogou pelo Osvaldo Cruz FC, interior paulista. Ao vol…

Vila Nova FC - GO contrata dois do futebol rondoniense

Um é "veterano" dos seus 34 anos, mas a função talvez exija uma pessoa dessa estirpe, com formação superior em Ciências Contábeis; foi observador da base do próprio Vila Nova; trabalhou como Coordenador de Esportes e, portanto, na formação do Rondoniense SC onde sagrou-se campeão do 1º turno de 2016 no Periquito do Ulisses Guimarães - com às mãos nas costas -, depois saiu e foi especializar-se em Coaching na área esportiva, lá em Manaus-AM.
Falo de Welmer  Bueno(f), que já assumiu o cargo de Coordenador Geral da Base do Vila. Os objetivos traçados para o time goiano são alvissareiros e factiveis, senão vejamos: 1) tornar a base do Vila Nova, uma base profissional; 2) captar recursos financeiros para viabilizar todo o projeto; e 3) trabalhar a formação e liderança da equipe, captação de jogadores para a base, disciplina e compromisso. Falando em compromisso, a primeira grande batalha do Vila é a Copa SP com início dia 3 de janeiro próximo. (Welmer Bueno - reprodução/facebook)
A …

Tanaka faz acordo amigável e dá adeus ao Periquito

Foram somente três minutos vestindo a camisa oficial do RSC. Falo de Alessandro Tanaka, camisa 16 que entrou ao final do jogo entre RSC 0 x 0 Cuiabá pela Copa Verde, no último domingo. O ambiente no ninho do periquito já não estava legal para o atleta estrela de Guajará-mirim, ontem, segunda-feira entornou de vez.
E, agora à tarde o rápido atacante Tanaka, entrou em acordo com a diretoria do clube, e deu adeus ao RSC. Agora vem a surpresa maior. Sabe para onde voa o Tanaka, ou melhor, sai do ninho do periquito e vai para o Acre, isso mesmo o novo clube será no estado do Acre. E quem pensava no Tanaka no Galo da BR, tire o cavalo da chuva.
O blog chegou a conversar com Eder Marques, um dos diretores do Jipa, e ele assim se expressou: "Luis, na verdade era intenção da gente trazer o Tanaka para cá, como foi um acordo amigável e ele resolveu ir para o Acre, que seja feliz não vamos entrar em leilão". (Tanaka deixou o RSC nesta terça(7), vai para o Acre)