Pular para o conteúdo principal

Sub-20: SC Genus é o 4º semifinalista, com louvor

Falando sério, nem o mais otimista dos torcedores do aurigrená da capital poderia imaginar um jogo de 4 a 1 em seu favor. Porém, falando assim somente no placar elástico dá a entender que foi fácil construir esse placar. Não, o que aconteceu foi a abertura do placar aos 5' para o Genus numa cochilada imperdoável de marcação do miolo da zaga em bola parada, de escanteio em que o zagueirão Alemão subiu e tocou de cabeça para Israel, que só fez cumprimentar o goleiro Sidney.

Um minuto antes do gol, aconteceu uma falta em favor do RSC e Wesley bateu direto nos braços do goleiro Gabriel Sarges. Outro fator preponderante foi o amarelo muito cedo para o zagueiro Mendel do RSC - então anote ai; gol muito cedo, cartão ídem e o meio-campo do Genus "engoliu" os canhotos bons de bola do RSC -, faltou o coletivo no periquito? Penso que sim. Em muitos momentos eu falava isso ao microfone da WebRádio Capital FM, toque de bola, tabela, infiltrações.

Coisa que o Genus soube aproveitar e fazer com maestria. O Deutz desta vez deixou o ótimo Marcão dando o primeiro combate, ora no Kelvin, ora em cima do Matheus Castro e, na sequência a distribuição da jogada tanto com Luan Fernando, como João Rages - esse muito discreto para a torcida, mas de uma serventia grande para o conjunto -, e foi nessa tática que saiu o segundo gol.

Ora meus amigos, muita gente fala dos gols perdidos pelo Israel na equipe profissional - perdeu sim vários - mas é voluntarioso, obstinado, caprichoso. Esse blogueiro sempre falou: no dia em que esse rapaz começar a encontrar o caminho das redes adversárias, saiam da frente. Pois nesse Sub-20, tá fazendo um bem danado a ele - não é que o homem hoje fez dois, e ainda deu o passe para o segundo gol.

Que é esse que vou narrar: aos 31' Israel recebeu bola de Luan Fernando, lado esquerdo de seu ataque e partiu pra cima da defesa do RSC, tirou o Japa da jogada e mais outro zagueiro, então cruzou forte para a entrada do Caio Leite empurrar para o gol, sem chances para o grandalhão Sidney. Era o RSC 0 x 2 Genus. Final do primeiro tempo, para um time que precisava de um empate - ou seja, o Genus pisou o gramado já classificado - tava bom demais.

Vamos ao segundo tempo...,

Nessas alturas o RSC já contava com somente 10 atletas em função da expulsão de Mendel por volta dos 30' do primeiro tempo. Mesmo assim o time não se entregou, segurou esse placar de 2 a 0 até aos 34' quando, novamente o homem do jogo Israel que já havia feito o seu e dado um de presente ao Caio, voltou a aparecer e bem. Numa arrancada pelo lado esquerdo de seu ataque, de fora da área chutou forte meia altura no canto esquerdo do goleiro Sidney - que, diga-se foi um dos melhores pela equipe do RSC - era o terceiro do Genus.

Só dava Genus. Parma Oliveira tentou fechar mais o setor defensivo quando recuou o camisa 8 Wesley, ainda colocou o Zeca, assim como Carioca camisa 17 - todos eminentemente com características defensivas. Mas nada dava certo para o periquito, a sorte é que o Genus criava, criava e nas conclusões ou o goleiro Sidney defendia, ou a bola subia muito. Contei umas três a quatro bolas nessas condições - vamos lembrar: Israel, Luan Fernando, Leandro e Jehnson. Era pra ser mais de quatro, viu.

O quarto gol do Genus, foi do canhoto Leandro - lembram dele - o garoto bom de bola do 14 BIS, esse é fera, fez gol na Série D, no estadual tem cheiro de gol na perna esquerda. Ele recebeu um lançamento e partiu pra cima da zaga do RSC, daqueles gols que o torcedor diz: "passou até pela diretoria" frente a frente com o Sidney só fez encobrir - golaço, golaço. Era 41' do 2º tempo e a torcida cantava..., o campeão voltou!!!

Mas o jogo só acaba quando o juizão apita e aponta o centro do campo. Aos 43' Kelvin tenta passar pela segura defesa do Genus, e leva um toma lá, rasteira na grande área pênalti. Fledes marcou e Breno foi o encarregado da cobrança, foi lá canto esquerdo do goleiro Gabriel Sarges, e o gol de honra do periquito da zona leste. Final: RSC 1 x 4 Genus.

Agora ficou assim a semifinal(*)

1º) de A (Real Ariquemes) x 2º) de B (AD Cacoalense)
2º) de A (Genus) x 1º de B (Ji-Paraná FC)

(*) O Genus tem possibilidade ainda de ser o 1º do Grupo A, caso o Real perca por dois ou mais gols de diferença neste domingo,23, para o Porto Club.
(SC Genus Sub-20 - foto: Alexandre Almeida)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Rondoniense de 17 anos vai disputar o concorrido Sub-20 em SP

Olha que notícia maravilhosa. Vem daqui de perto do distrito de Jaci-Paraná, a 80 km de Porto Velho, um filho do distrito chamado Jardson Medeiros, zagueiro de 1,85 m com 17 anos, pé esquerdo, pelo visto um prodígio - na acepção da palavra -, daqueles com habilidades próprias para pessoas com mais idade.
Acompanhe o histórico de Jardson: foi bicampeão da copa treze sub-15 pelo Avaí-PVH; em 2015 disputou o sub-16 pelo SC Genus; já o ano passado foi campeão do Interdistrital pela seleção de Jaci-Paraná, quando foi muito elogiado pela postura em campo e personalidade.
Desta temporada o garoto começou a viajar. Entenda-se viajando para fazer o que mais gosta, e sabe fazer. Foi para Confins-MG, disputou o campeonato mineiro sub-17 pelo Bonsucesso EC, sucesso garantido seu time foi eliminado na semifinal mineira. Algumas equipes de base da terra de Tiradentes tentaram ficar com o zagueiro.
Porém, seu destino acabou sendo São Paulo, primeiro jogou pelo Osvaldo Cruz FC, interior paulista. Ao vol…

Atacante Gabriel Henrique está de partida do SC Genus

Virada do ano já começa bem movimentado pelo lado do time Aurigrená da Capital. Primeiro a polêmica das camisas para 2018, com dois escudos: Genus/Avaí, e hoje(2/jan) a desistência do ótimo atacante Gabriel Henrique, 21 anos, que recebeu uma proposta muito boa de Alagoas.
O novo time de Gabriel chama-se Santa Rita, é da cidade de Boca da Mata e fundado em 25/05/1974. O atleta estava com pré-contrato com SC Genus, para o ano de 2018. (Gabriel Henrique está saindo do Genus - foto: Fanpage do Clube)

Tanaka faz acordo amigável e dá adeus ao Periquito

Foram somente três minutos vestindo a camisa oficial do RSC. Falo de Alessandro Tanaka, camisa 16 que entrou ao final do jogo entre RSC 0 x 0 Cuiabá pela Copa Verde, no último domingo. O ambiente no ninho do periquito já não estava legal para o atleta estrela de Guajará-mirim, ontem, segunda-feira entornou de vez.
E, agora à tarde o rápido atacante Tanaka, entrou em acordo com a diretoria do clube, e deu adeus ao RSC. Agora vem a surpresa maior. Sabe para onde voa o Tanaka, ou melhor, sai do ninho do periquito e vai para o Acre, isso mesmo o novo clube será no estado do Acre. E quem pensava no Tanaka no Galo da BR, tire o cavalo da chuva.
O blog chegou a conversar com Eder Marques, um dos diretores do Jipa, e ele assim se expressou: "Luis, na verdade era intenção da gente trazer o Tanaka para cá, como foi um acordo amigável e ele resolveu ir para o Acre, que seja feliz não vamos entrar em leilão". (Tanaka deixou o RSC nesta terça(7), vai para o Acre)