Pular para o conteúdo principal

Sub-20: SC Genus é o 4º semifinalista, com louvor

Falando sério, nem o mais otimista dos torcedores do aurigrená da capital poderia imaginar um jogo de 4 a 1 em seu favor. Porém, falando assim somente no placar elástico dá a entender que foi fácil construir esse placar. Não, o que aconteceu foi a abertura do placar aos 5' para o Genus numa cochilada imperdoável de marcação do miolo da zaga em bola parada, de escanteio em que o zagueirão Alemão subiu e tocou de cabeça para Israel, que só fez cumprimentar o goleiro Sidney.

Um minuto antes do gol, aconteceu uma falta em favor do RSC e Wesley bateu direto nos braços do goleiro Gabriel Sarges. Outro fator preponderante foi o amarelo muito cedo para o zagueiro Mendel do RSC - então anote ai; gol muito cedo, cartão ídem e o meio-campo do Genus "engoliu" os canhotos bons de bola do RSC -, faltou o coletivo no periquito? Penso que sim. Em muitos momentos eu falava isso ao microfone da WebRádio Capital FM, toque de bola, tabela, infiltrações.

Coisa que o Genus soube aproveitar e fazer com maestria. O Deutz desta vez deixou o ótimo Marcão dando o primeiro combate, ora no Kelvin, ora em cima do Matheus Castro e, na sequência a distribuição da jogada tanto com Luan Fernando, como João Rages - esse muito discreto para a torcida, mas de uma serventia grande para o conjunto -, e foi nessa tática que saiu o segundo gol.

Ora meus amigos, muita gente fala dos gols perdidos pelo Israel na equipe profissional - perdeu sim vários - mas é voluntarioso, obstinado, caprichoso. Esse blogueiro sempre falou: no dia em que esse rapaz começar a encontrar o caminho das redes adversárias, saiam da frente. Pois nesse Sub-20, tá fazendo um bem danado a ele - não é que o homem hoje fez dois, e ainda deu o passe para o segundo gol.

Que é esse que vou narrar: aos 31' Israel recebeu bola de Luan Fernando, lado esquerdo de seu ataque e partiu pra cima da defesa do RSC, tirou o Japa da jogada e mais outro zagueiro, então cruzou forte para a entrada do Caio Leite empurrar para o gol, sem chances para o grandalhão Sidney. Era o RSC 0 x 2 Genus. Final do primeiro tempo, para um time que precisava de um empate - ou seja, o Genus pisou o gramado já classificado - tava bom demais.

Vamos ao segundo tempo...,

Nessas alturas o RSC já contava com somente 10 atletas em função da expulsão de Mendel por volta dos 30' do primeiro tempo. Mesmo assim o time não se entregou, segurou esse placar de 2 a 0 até aos 34' quando, novamente o homem do jogo Israel que já havia feito o seu e dado um de presente ao Caio, voltou a aparecer e bem. Numa arrancada pelo lado esquerdo de seu ataque, de fora da área chutou forte meia altura no canto esquerdo do goleiro Sidney - que, diga-se foi um dos melhores pela equipe do RSC - era o terceiro do Genus.

Só dava Genus. Parma Oliveira tentou fechar mais o setor defensivo quando recuou o camisa 8 Wesley, ainda colocou o Zeca, assim como Carioca camisa 17 - todos eminentemente com características defensivas. Mas nada dava certo para o periquito, a sorte é que o Genus criava, criava e nas conclusões ou o goleiro Sidney defendia, ou a bola subia muito. Contei umas três a quatro bolas nessas condições - vamos lembrar: Israel, Luan Fernando, Leandro e Jehnson. Era pra ser mais de quatro, viu.

O quarto gol do Genus, foi do canhoto Leandro - lembram dele - o garoto bom de bola do 14 BIS, esse é fera, fez gol na Série D, no estadual tem cheiro de gol na perna esquerda. Ele recebeu um lançamento e partiu pra cima da zaga do RSC, daqueles gols que o torcedor diz: "passou até pela diretoria" frente a frente com o Sidney só fez encobrir - golaço, golaço. Era 41' do 2º tempo e a torcida cantava..., o campeão voltou!!!

Mas o jogo só acaba quando o juizão apita e aponta o centro do campo. Aos 43' Kelvin tenta passar pela segura defesa do Genus, e leva um toma lá, rasteira na grande área pênalti. Fledes marcou e Breno foi o encarregado da cobrança, foi lá canto esquerdo do goleiro Gabriel Sarges, e o gol de honra do periquito da zona leste. Final: RSC 1 x 4 Genus.

Agora ficou assim a semifinal(*)

1º) de A (Real Ariquemes) x 2º) de B (AD Cacoalense)
2º) de A (Genus) x 1º de B (Ji-Paraná FC)

(*) O Genus tem possibilidade ainda de ser o 1º do Grupo A, caso o Real perca por dois ou mais gols de diferença neste domingo,23, para o Porto Club.
(SC Genus Sub-20 - foto: Alexandre Almeida)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Rondoniense de 17 anos vai disputar o concorrido Sub-20 em SP

Olha que notícia maravilhosa. Vem daqui de perto do distrito de Jaci-Paraná, a 80 km de Porto Velho, um filho do distrito chamado Jardson Medeiros, zagueiro de 1,85 m com 17 anos, pé esquerdo, pelo visto um prodígio - na acepção da palavra -, daqueles com habilidades próprias para pessoas com mais idade.
Acompanhe o histórico de Jardson: foi bicampeão da copa treze sub-15 pelo Avaí-PVH; em 2015 disputou o sub-16 pelo SC Genus; já o ano passado foi campeão do Interdistrital pela seleção de Jaci-Paraná, quando foi muito elogiado pela postura em campo e personalidade.
Desta temporada o garoto começou a viajar. Entenda-se viajando para fazer o que mais gosta, e sabe fazer. Foi para Confins-MG, disputou o campeonato mineiro sub-17 pelo Bonsucesso EC, sucesso garantido seu time foi eliminado na semifinal mineira. Algumas equipes de base da terra de Tiradentes tentaram ficar com o zagueiro.
Porém, seu destino acabou sendo São Paulo, primeiro jogou pelo Osvaldo Cruz FC, interior paulista. Ao vol…

Vila Nova FC - GO contrata dois do futebol rondoniense

Um é "veterano" dos seus 34 anos, mas a função talvez exija uma pessoa dessa estirpe, com formação superior em Ciências Contábeis; foi observador da base do próprio Vila Nova; trabalhou como Coordenador de Esportes e, portanto, na formação do Rondoniense SC onde sagrou-se campeão do 1º turno de 2016 no Periquito do Ulisses Guimarães - com às mãos nas costas -, depois saiu e foi especializar-se em Coaching na área esportiva, lá em Manaus-AM.
Falo de Welmer  Bueno(f), que já assumiu o cargo de Coordenador Geral da Base do Vila. Os objetivos traçados para o time goiano são alvissareiros e factiveis, senão vejamos: 1) tornar a base do Vila Nova, uma base profissional; 2) captar recursos financeiros para viabilizar todo o projeto; e 3) trabalhar a formação e liderança da equipe, captação de jogadores para a base, disciplina e compromisso. Falando em compromisso, a primeira grande batalha do Vila é a Copa SP com início dia 3 de janeiro próximo. (Welmer Bueno - reprodução/facebook)
A …

Tanaka faz acordo amigável e dá adeus ao Periquito

Foram somente três minutos vestindo a camisa oficial do RSC. Falo de Alessandro Tanaka, camisa 16 que entrou ao final do jogo entre RSC 0 x 0 Cuiabá pela Copa Verde, no último domingo. O ambiente no ninho do periquito já não estava legal para o atleta estrela de Guajará-mirim, ontem, segunda-feira entornou de vez.
E, agora à tarde o rápido atacante Tanaka, entrou em acordo com a diretoria do clube, e deu adeus ao RSC. Agora vem a surpresa maior. Sabe para onde voa o Tanaka, ou melhor, sai do ninho do periquito e vai para o Acre, isso mesmo o novo clube será no estado do Acre. E quem pensava no Tanaka no Galo da BR, tire o cavalo da chuva.
O blog chegou a conversar com Eder Marques, um dos diretores do Jipa, e ele assim se expressou: "Luis, na verdade era intenção da gente trazer o Tanaka para cá, como foi um acordo amigável e ele resolveu ir para o Acre, que seja feliz não vamos entrar em leilão". (Tanaka deixou o RSC nesta terça(7), vai para o Acre)