quinta-feira, 12 de abril de 2018

SC Genus com Leandro "endiabrado" vira pra cima do Vilhenense

Os deuses do futebol aqui e acolá agem em certas partidas de futebol. Quem viu nesta terça e quarta próxima passada - uma Roma derrubando o poderoso Barcelona,e na quarta a Juventus da Itália batendo na trave para mandar o Real Madrid pra casa mais cedo.

Pois bem, se os deuses agiram por lá nas "europas" da vida, por aqui não foi diferente no velho e aconchegante Aluizão. Falo do jogo entre Genus x Vilhenense, ora os dois times dos extremos - enquanto o Vilhenense era o 1º colocado, o Genus era o penúltimo.

Nos primeiros 45' houve equilíbrio no jogo, o Genus entrou pilhado, o Vilhenense centrado no projeto de jogo do Profº Mirandinha. Já o time aurigrená sob o comando de Paulo Eduardo, mostrava-se com muita raça, e não tinha bola perdida.

A novidade que o Paulo Eduardo trouxe foi Xuxa entrando de início. O primeiro tempo terminou em zero a zero, a torcida (pequena) do Genus reconheceu o esforço de seus guerreiros e, se não aplaudiu pelo menos não vaiou.

Para o segundo tempo, já veio a novidade - a entrada do jovem atacante Leandro - um caso à parte. Esse rapaz botou fogo no jogo, é tanto que andou às turras com Juninho, pois não lhe passou uma bola e poderia ser gol. A estrela de Leandro somente veio aparecer depois que o Genus levou gol do Leão do cone sul.

Eram 35' do segundo tempo, quando Wembley de cabeça e com estilo fez: Genus 0 x 1 Vilhenense. Porém, essa alegria do Vilhenense durou exatos 3' após o gol de Wembley. Leandro recebe a bola quase em cima da linha da grande área e entra na área, sai "dibrando" um, dois, três, exatos três zagueiros do Vilhenense e de pé direito empata o jogo aos 38'.

Mas, e sempre tem um mas. O lema, o grito de guerra de hoje do Genus foi; uma dose do que acontecera na terça e quarta na Europa, deu certo. Paulo Eduardo foi muito feliz nas substituições, aos 41' numa arrancada pela direita o garoto Tom Tom leva pra cima da zaga e chuta a gol - um Deus desvia a trajetória da bola, tira do goleiro Kaiky e cai no pé salvador (o direito) de quem -, dele Leandro, era o gol da virada.

Quem sabe essa virada deixe um legado. Legado da persistência, da juventude e da coragem de mexer na equipe, deixá-la bem ofensiva. O resultado final sempre vai ser esse. Hoje deu: Genus 2 x 1 Vilhenense.

Parabéns!!!
(Esse o momento mágico que antecede ao jogo - o grito de guerra, a vibração, a concentração)



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Coletivo apronto do Barça Sub-20, com a presença do multicampeão Mário Rocha

Coletivo apronto do Barcelona FC nesta sexta-feira(20), no Portal da Amazônia eis que aparece por lá; a lenda o multicampeão do estado gole...