terça-feira, 6 de novembro de 2018

A importância de um gerente de futebol

Muito se fala em planejamento, em projeção dentro de um time de futebol. Em Rondônia, essa figura está cada vez mais presente no organograma  - cito no Rondoniense (Álisson Albino), no VEC e agora Real (Diego Talim), no Genus (Dinho Damasceno), no GEC (Tinho Damsceno/e técnico), no Barça (Viviane Almeida), no Jipa (José Carlos) e Vilhenense (não sei).

Pois bem, dentro dessa especificação encontro Luciano Almeida (esse conhece quase tudo dentro de uma equipe de futebol) e, se enquadra direitinho na função. Neste final de semana Luciano me passou um trabalho dele de pesquisar junto às súmulas - quantos atletas há no profissionalismo, quantos amadores e quantos desempregados.

Vamos acompanhar

VEC - teve 21 atletas relacionados, desses: 06 ativos, 03 amadores e 12 desempregados;
Ji-Paraná FC - 22 atletas relacionados, desses: 02 ativos, 1 amador e 19 desempregados;
GEC - 17 atletas relacionados, desses: 02 ativos, 01 amador e 14 desempregados;
Real - 20 atletas relacionados, desses: 05 ativos, 15 desempregados;
RSC - 20 atletas relacionados, desses: 03 ativos, 02 amadores e 15 desempregados;
Genus - 20 atletas relacionados, desses: 08 ativos, 03 amadores e 09 desempregados;
Barcelona - 18 atletas relacionados, desses: 02 ativos, 04 amadores e 12 desempregados;
Vilhenense - 22 atletas relacionados, desses: 07 ativos, 02 amadores e 13 desempregados.

Total

160 atletas relacionados, 35 ativos, 16 amadores e 109 desempregados.

(*) A pesquisa  foi feita por Luciano Almeida, levando em consideração os jogos realizados nas últimas rodadas deste 2018.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ji-Paraná FC adia data da eleição pela terceira vez

Agora é oficial. A primeira vez o local de eleição para nova diretoria do Galo da BR, não estava disponível (seria no sábado/10), a segunda...