Pular para o conteúdo principal

Genus deixa boa impressão em estreia

Opinião

Se a primeira impressão é a que fica. A grande maioria dos torcedores do Sport Club Genus, que não puderam, ou que não tiveram oportunidade de comparecer ao estádio Gentil Valério à noite desta quinta-feira(21), na estreia do Aurigrená contra os donos da casa - o Ariquemes -, podem ficar sossegados que o time mostrou "cara" de time e, por isso o empate em 2 a 2 pode ser comemorado sim, pelos anfitrões. 

Senão vejamos

Nos primeiros 15min de jogo o Genus deu um sufoco danado no Ariquemes, não tenho o scout do jogo mas, sem medo de errar pelo menos uns quatro escanteios o time comandado por Neneca conseguiu em seu favor. O Marcos Canhoto perdeu um gol de cabeça, coisa que lá para segunda ou terceira rodada ele vai fazer "com juros e correção", vamos cobrar sim.

Falando de Canhoto e, aqui já vai um pitaco - claro que todo jogo tem um projeto diferente -, achei o Canhoto meio deslocado de sua real função, muito aberto pela esquerda. Mas, vamos com calma em analisar o trabalho de uma equipe que treinou de 15 a 20 dias, e fez somente um amistoso.

Quintino também foi outro que não mostrou toda sua categoria, inclusive saiu na segunda etapa sentindo a perna - penso que foi mais precaução - e, porque escolheu esses dois cara-pálida? Por que sei da capacidade deles. Repito, não decepcionaram. Aliás, a equipe no todo está de parabéns.

Primeiro tempo: zero a zero

Estive presente ao jogo e, me perguntaram se o empate sem gol nos primeiros 45min era justo. Respondi que não. Agora, pensando com meus botões um primeiro tempo com 1 a zero ou mais em favor do Genus, não teria sido coisa anormal.

Segundo tempo: novo empate, agora com gols

Não falei do Ariquemes. Faço agora. Do time que terminou o jogo contra o Espigão na estreia do verdão, o técnico Gilvan Pereira manteve o atacante Cesar e, colocou em jogo o jovem e talentoso Glauber - um aparte para este camisa 8, soube que é oriundo do futsal -, como falo de impressão, digo a vocês meus nobres leitores: anotem o nome desta fera, joga demais.

Bem, se do lado do Genus tivemos o Anderson Marabá como um dos maiores destaques, o outro coloca na conta o goleiro Marlon, apesar de soltar a bola no primeiro gol do Ariquemes. Pelo lado do Ariquemes, indiscutivelmente o Glauber e o zagueiro Cleiton - Cesar também colaborou muito com seus companheiros.

Com menos de 1min de jogo a bola vem de um escanteio cobrado por Anderson Marabá do Genus e raspou na cabeça de Cleiton. Ariquemes 0 x 1 Genus.

Ai o jogo se já era bom, melhorou ainda mais com o Ariquemes não se entregando. Porém, o empate somente aos 39min, após bola alçada na área do Genus, foi quando o Marlon soltou e caiu no pé do Cleiton estava decretado o empate. Ariquemes 1 x 1 Genus.

Com a saida do Careca 9 do Genus e a entrada do Ronam, o time começou a colocar mais a bola no chão, coisa que antes estava sendo feita esta ligação com lançamentos longos a procura de Boka ou Canhoto na esquerda.

O jogo se encaminhava par este 1 a 1, quando aos 44min Canhoto como pivô toca a bola de calcanhar para Ronam, este tem que aproveitar as chances que o Neneca com certeza vai lhe ofertar pegou a bola e procurou logo quem. O destaque do time Anderson Marabá que, frente ao goleirão Zanetti ainda dá uma paradinha e toca no meio do gol, com extrema categoria esta feito o placar de. Ariquemes 1 x 2 Genus.

Mas ai é que mora o perigo. Bola para o mato, ou até aproveitar e fazer o 3º pois o Ariquemes foi para o abafa. Falta em favor do ataque do time da cassiterita, de novo bola na área Cesar leva para cima do goleiro e, tinha com ele um zagueiro. Experiente como é, vai ao chão porém, antes que a bola vá a linha de fundo ele toca para trás e Reginaldo empata mais uma vez o jogo. Ariquemes 2 x 2 Genus.

Placar final portanto, de 2 a 2 um ponto para os dois. Uma lição, um aprendizado. Enquanto na 3ª rodada o Ariquemes em casa joga contra o Ji-Paraná, o Genus vai até Rolim de Moura e pega o 1º colocado do certame o Tigre da Zona da Mata. Outro jogo, outro plano de jogo. Repito, um Genus com cara de gente grande. Gostei!!! 

Arbitragem

Não gosto de comentar a arbitragem, porém, quero ressaltar o bom trabalho do Esmerindo Ferreira - correu bem, quando foi necessário o cartão ele aplicou com sabedoria -, seus dois assistentes o nº 1 um pouco nervoso, mas não chegou a influenciar no resultado final.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Rondoniense de 17 anos vai disputar o concorrido Sub-20 em SP

Olha que notícia maravilhosa. Vem daqui de perto do distrito de Jaci-Paraná, a 80 km de Porto Velho, um filho do distrito chamado Jardson Medeiros, zagueiro de 1,85 m com 17 anos, pé esquerdo, pelo visto um prodígio - na acepção da palavra -, daqueles com habilidades próprias para pessoas com mais idade.
Acompanhe o histórico de Jardson: foi bicampeão da copa treze sub-15 pelo Avaí-PVH; em 2015 disputou o sub-16 pelo SC Genus; já o ano passado foi campeão do Interdistrital pela seleção de Jaci-Paraná, quando foi muito elogiado pela postura em campo e personalidade.
Desta temporada o garoto começou a viajar. Entenda-se viajando para fazer o que mais gosta, e sabe fazer. Foi para Confins-MG, disputou o campeonato mineiro sub-17 pelo Bonsucesso EC, sucesso garantido seu time foi eliminado na semifinal mineira. Algumas equipes de base da terra de Tiradentes tentaram ficar com o zagueiro.
Porém, seu destino acabou sendo São Paulo, primeiro jogou pelo Osvaldo Cruz FC, interior paulista. Ao vol…

Vila Nova FC - GO contrata dois do futebol rondoniense

Um é "veterano" dos seus 34 anos, mas a função talvez exija uma pessoa dessa estirpe, com formação superior em Ciências Contábeis; foi observador da base do próprio Vila Nova; trabalhou como Coordenador de Esportes e, portanto, na formação do Rondoniense SC onde sagrou-se campeão do 1º turno de 2016 no Periquito do Ulisses Guimarães - com às mãos nas costas -, depois saiu e foi especializar-se em Coaching na área esportiva, lá em Manaus-AM.
Falo de Welmer  Bueno(f), que já assumiu o cargo de Coordenador Geral da Base do Vila. Os objetivos traçados para o time goiano são alvissareiros e factiveis, senão vejamos: 1) tornar a base do Vila Nova, uma base profissional; 2) captar recursos financeiros para viabilizar todo o projeto; e 3) trabalhar a formação e liderança da equipe, captação de jogadores para a base, disciplina e compromisso. Falando em compromisso, a primeira grande batalha do Vila é a Copa SP com início dia 3 de janeiro próximo. (Welmer Bueno - reprodução/facebook)
A …

Tanaka faz acordo amigável e dá adeus ao Periquito

Foram somente três minutos vestindo a camisa oficial do RSC. Falo de Alessandro Tanaka, camisa 16 que entrou ao final do jogo entre RSC 0 x 0 Cuiabá pela Copa Verde, no último domingo. O ambiente no ninho do periquito já não estava legal para o atleta estrela de Guajará-mirim, ontem, segunda-feira entornou de vez.
E, agora à tarde o rápido atacante Tanaka, entrou em acordo com a diretoria do clube, e deu adeus ao RSC. Agora vem a surpresa maior. Sabe para onde voa o Tanaka, ou melhor, sai do ninho do periquito e vai para o Acre, isso mesmo o novo clube será no estado do Acre. E quem pensava no Tanaka no Galo da BR, tire o cavalo da chuva.
O blog chegou a conversar com Eder Marques, um dos diretores do Jipa, e ele assim se expressou: "Luis, na verdade era intenção da gente trazer o Tanaka para cá, como foi um acordo amigável e ele resolveu ir para o Acre, que seja feliz não vamos entrar em leilão". (Tanaka deixou o RSC nesta terça(7), vai para o Acre)