Pular para o conteúdo principal

Genus cala os incrédulos e ganha o turno invicto

Noite de quarta-feira, dia em que a bola rola por quase todo o território brasileiro. Menos em uma capital e, esta capital é justamente a do progressista estado de Rondônia. Infelizmente o torcedor de Porto Velho não tem este privilégio, de sair de casa e ver  seu único representante no estadual decidir mesmo que simbolicamente o primeiro turno do campeonato.

Palco montado - estádio Gentil Valério -, em Ariquemes. Horário meio maluco para uma partida tão importante, em que iriam jogar Sport Club Genus e Clube Atlético Pimentense, as duas melhores equipes até então. O melhor ataque (Pimentense) contra a melhor defesa (Genus).

O Genus começa o jogo sufocando seu adversário. O gol poderia sair a qualquer momento para o time Aurigrená, o balde de água fria veio aos 10min quando Luciano goleiro estreante do Genus comete pênalti em cima do rápido atacante Rubronegro Dudu. Geilson com a categoria que Deus lhe deu, foi lá e um a zero Pimentense.

Era o ataque mais positivo funcionando. Não deu tempo do time engrossar o pescoço, pois 4min depois Careca empata de cabeça, o forte do camisa 9 do Genus. Como diz o comandante da capital: "respeitamos todos os nossos adversários com garra, determinação e se possível com gols", é o lema de Neneca.

É, mas tem gente incrédula que diz não ter visto muita coisa do time do Profº Neneca até agora. Acredito que até esta terça-feira, 9, pois depois desta quarta-feira posso utilizar um velho provérbio chinês que diz: "se um cavalo ganha uma corrida, é sorte; se ganha duas, é coincindência; e, se ganha três vezes, jogue no cavalo que ele é bom". Se liga cara-pálida, o cavalo em questão já ganhou quatro.

Pois bem, para fechar os primeiros 45min de jogo o Genus que neste campeonato ainda não tinha iniciado um jogo, perdendo. Conseguiu o empate e a virada aos 45min, de pênalti sofrido por Careca e ele mesmo foi lá e fez. Genus 2 x 1 Pimentense.

Para o segundo tempo o jogo continuava empolgante e, os 24 pagantes - acredita-se que a maior parte que viajaram de Porto Velho -, continuavam incentivando o time Aurigrená. Não demorou muito para Vagner Leonardelli fazer os 3 a 1, este ótimo profissional que inclusive fez o gesto do dedo na boca - pois no último final de semana, foi papai -, isso aos 17min.

O CAP não desistia. O técnico Héder Palmonari promoveu algumas mudanças, o time em certo momento encurralou o Genus e, chegou a diminuir o placar aos 30min com Alex Lenon depois de tabela com Geilson. Genus 3 x 2 CAP.

O jogo estava tão  bom que o árbitro Sidnei Pereira, resolveu acrescer 4min e depois mais Um. Foi um segundo tempo de 50min, muito "elogiado" pelos dois técnicos o juizão finalmente trilou seu apito final aos 51min.

Com este resultado o Genus chegou aos 14 pontos, 4 vitórias e 2 empates, são 77,7% de índice de aproveitamento. Com mais 4 pontos o time disputa a semifinal.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Rondoniense de 17 anos vai disputar o concorrido Sub-20 em SP

Olha que notícia maravilhosa. Vem daqui de perto do distrito de Jaci-Paraná, a 80 km de Porto Velho, um filho do distrito chamado Jardson Medeiros, zagueiro de 1,85 m com 17 anos, pé esquerdo, pelo visto um prodígio - na acepção da palavra -, daqueles com habilidades próprias para pessoas com mais idade.
Acompanhe o histórico de Jardson: foi bicampeão da copa treze sub-15 pelo Avaí-PVH; em 2015 disputou o sub-16 pelo SC Genus; já o ano passado foi campeão do Interdistrital pela seleção de Jaci-Paraná, quando foi muito elogiado pela postura em campo e personalidade.
Desta temporada o garoto começou a viajar. Entenda-se viajando para fazer o que mais gosta, e sabe fazer. Foi para Confins-MG, disputou o campeonato mineiro sub-17 pelo Bonsucesso EC, sucesso garantido seu time foi eliminado na semifinal mineira. Algumas equipes de base da terra de Tiradentes tentaram ficar com o zagueiro.
Porém, seu destino acabou sendo São Paulo, primeiro jogou pelo Osvaldo Cruz FC, interior paulista. Ao vol…

Vila Nova FC - GO contrata dois do futebol rondoniense

Um é "veterano" dos seus 34 anos, mas a função talvez exija uma pessoa dessa estirpe, com formação superior em Ciências Contábeis; foi observador da base do próprio Vila Nova; trabalhou como Coordenador de Esportes e, portanto, na formação do Rondoniense SC onde sagrou-se campeão do 1º turno de 2016 no Periquito do Ulisses Guimarães - com às mãos nas costas -, depois saiu e foi especializar-se em Coaching na área esportiva, lá em Manaus-AM.
Falo de Welmer  Bueno(f), que já assumiu o cargo de Coordenador Geral da Base do Vila. Os objetivos traçados para o time goiano são alvissareiros e factiveis, senão vejamos: 1) tornar a base do Vila Nova, uma base profissional; 2) captar recursos financeiros para viabilizar todo o projeto; e 3) trabalhar a formação e liderança da equipe, captação de jogadores para a base, disciplina e compromisso. Falando em compromisso, a primeira grande batalha do Vila é a Copa SP com início dia 3 de janeiro próximo. (Welmer Bueno - reprodução/facebook)
A …

Tanaka faz acordo amigável e dá adeus ao Periquito

Foram somente três minutos vestindo a camisa oficial do RSC. Falo de Alessandro Tanaka, camisa 16 que entrou ao final do jogo entre RSC 0 x 0 Cuiabá pela Copa Verde, no último domingo. O ambiente no ninho do periquito já não estava legal para o atleta estrela de Guajará-mirim, ontem, segunda-feira entornou de vez.
E, agora à tarde o rápido atacante Tanaka, entrou em acordo com a diretoria do clube, e deu adeus ao RSC. Agora vem a surpresa maior. Sabe para onde voa o Tanaka, ou melhor, sai do ninho do periquito e vai para o Acre, isso mesmo o novo clube será no estado do Acre. E quem pensava no Tanaka no Galo da BR, tire o cavalo da chuva.
O blog chegou a conversar com Eder Marques, um dos diretores do Jipa, e ele assim se expressou: "Luis, na verdade era intenção da gente trazer o Tanaka para cá, como foi um acordo amigável e ele resolveu ir para o Acre, que seja feliz não vamos entrar em leilão". (Tanaka deixou o RSC nesta terça(7), vai para o Acre)