segunda-feira, 26 de maio de 2014

Há Injustiças no Futebol

Opinião

Acompanho o futebol profissional em Rondônia desde 1992, ou seja, um ano após sua profissionalização. Brinco até, e é verdade. Desde o século XX. Daí pra frente são 23 edições em que de uma maneira ou outra estou sempre envolvido - seja como bandeirinha (é o novo!), ou na crônica esportiva -, pelo menos umas 15 finais.

Já vi os dois finalistas atuais: Ariquemes e Vilhena, conquistarem seu campeonatos. Ai vão dizer, mas o Ariquemes? Sim, em 93 e 94 com outro material e com outra razão social e, lógico com outros dirigentes. Por sinal, utilizando-se de artifícios ora ainda praticados por...

Vi o Lobo do Cerrado conquistando o pódium em 2005 em cima do Ji-Paraná. Em 2009 contra o Genus com muitas reclamações em cima da arbitragem - se minha trôpega memória não falhar, apitou o jogo o Wilson Aquino -, velha pressão pra cima do homem de preto.

Em 2010 a primeira vez em que os dois atuais finalistas encontram-se numa final. No primeiro jogo em casa o Ariquemes perde, e no Portal da Amazônia após estar perdendo o jogo chega a um empate sensacional em 3 x 3, com arbitragem do atual comandante dos árbitros Almir Caetano.

Em 2013 ano do Tetra para o VEC. No primeiro jogo da final ele ganhou de goleada do Pimentense no Portal e, na volta perdeu para este mesmo Pimentense com arbitragem de Fledes Santos, sem deixar de ser contestado.

Mas porque escrevi tudo isso e, falei tanto de arbitragem. Pelo simples motivo de fazer alguns comentários sobre o jogo de sábado(24) e também da desastrosa atuação do árbitro Arnildo Lino. O erro é inerente a atividade humana, e o árbitro de futebol não está fora disso. 

A maioria dos erros de arbitragem só é vista através do famoso tira-teima. Mas, no sábado passado pelo menos dois erros a olho nu ficaram latentes - uma penalidade máxima cometida por um zagueiro do VEC no primeiro tempo (mão na bola), próximo do goleirão Dalton e um lance também em minha opinião - quando um atacante do Ariquemes se projeta em direção ao gol do VEC, fora aterrado o árbitro dá a vantagem o Ariquemes perde o gol, e ai ele marca falta.

Sem contar a correria dos atletas pra cima do árbitro toda vez em que ele marcava uma falta. Nos primeiros minutos de jogo, se realmente ele estivesse com um planejamento de jogo traçado, sem fadiga, sem pressão, poderia ter expulsado dois atletas - Souza e Marinho -, dali pra frente a partida era sua. Mas, se erro foram cometidos por parte do árbitro estes seriam erros de fato e não de direito.

Quanto a injustiças. Em meu entendimento, o zero a zero finalizado no sábado há uma só explicação - tem o nome de Dalton (goleiro do VEC) -, ele foi o responsável pelo placar em branco. Mas é o papel dele, galalau com muita agilidade salvou o VEC de sair com um placar adverso de pelo menos uns dois gols.

Antes que eu esqueça: parabéns a diretoria do Ariquemes por saber receber tão bem as visitas, também ao torcedor de Ariquemes que lotou o estádio Gentil Valério, que pena o campeonato já acabar no próximo sábado(31).

  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sub-20: Barcelona de virada crava seis no União, e fica com um pé na semifinal

Jogo das 9 da manhã deste domingo(22), no Centro Esportivo de Cacoal. Em casa a boa equipe do União Cacoal, que está voltando ao cenário do...