Pular para o conteúdo principal

Série D: Genus mexe errado e faz Somália remexer

Genus e Princesa fizeram um bom jogo nesta tarde de domingo(3), no Aluizão. Pelo lado do visitante a pressão era grande por uma vitória, por outro lado o mandante fazia seu terceiro jogo em 8 dias. Vitória na quarta-feira dava mais tranquilidade ao aurigrená.

Quem começou melhor foi justamente o Princesa, com maior posse de bola, mas sem levar  perigo ao gol defendido por Dida. Aos 10' a primeira lambança do árbitro Rafael Odílio. O atleta Rondinelli(Princesa) recua a bola para seu defensor, no que se aproveita o atleta Pemaza(Genus), e parte pra fazer o primeiro gol do jogo.

Quem acompanha o Pemaza? Justamente Leandro Camilo que dá um bico de leve na bola e o goleirão Paulo Wanzeler encaixa a bola com categoria - ou seja, caracterizou o recuo para o goleiro -, isso pode?

Dai pra frente o Princesa voltou a botar a bola no chão. As subidas de seus alas sempre era fator de risco para o Genus, tanto com Deucinei pela direita como Guilherme pela esquerda. Aos 21' jogada pela direita do ataque do Tubarão, porém, a defesa do Genus coloca a bola para escanteio.

Aos 22' após cobrança de escanteio curto para o ala direita Deucinei, este levanta na pequena área do Genus, Branco chuta a bola bate na trave, na volta Somália chuta Dida - goleiro do Genus rebate - e, Branco faz 1 x 0 Princesa.

Aos 25' Renato Medeiros levanta a bola na área do Genus, Somália com seus quase 2m ajeita a bola para Branco autor do gol, este em condição regular chuta com força, a bola sobe e bate no tarvessão do bom goleiro Dida.

Aos 30' Ronan(Genus), conduz a bola com categoria pelo lado direito, passou com muita classe por Leandro Camilo quando vem o zagueirão tipo guarda-roupa Lídio e dá um carrinho lateral, pegando Ronan bola, chuteira e tudo que tivesse à frente - pênalti -, mas cadê coragem para o homem de azul marcar. Torcida chiou e, Ronan quase sai direto para a emergência.

Final do 1º tempo: Genus 0 x 1 Princesa

Segundo tempo: Charles Guerreiro, técnico do Princesa faz um balanço do que foi a primeira metade do jogo e diz; "vou tentar aumentar o placar, o time do Genus é muito bom tecnicamente". Enquanto Zé Francisco voltava também com os mesmos 11.

Mas, o plano de jogo de Guerreiro foi se desfazendo quando o jovem Guilherme começou a sentir o músculo e teve que sair do jogo, entrou Cleiton He-Man e logo depois Renato Medeiros deu lugar a Lourinho. Enquanto isso o Genus em seu melhor momento de produção, pois já se passava dos 20' e Ronan quase empata aos 9' e Pemaza justamente numa bela enfiada de bola do craque Ronan aos 18' levou de vencida a defensiva do Tubarão e, de pé esquerdo que não é tão bom chutou no canto direito do goleiro do Princesa. Para fora.

Ora, o que fez Zé Francisco - pra mim mexeu muito mal -, tirou justamente o Pemaza, logo depois o Ronan e o mais "pegador" do meio de campo, Pinóquio. O que fez Charles Guerreiro, tirou o homem do gol e colocou Edinho Canutama - um arisco e veloz ponta que tinha a missão de levar pra cima do Guarate - a ordem era não deixar o baixinho subir de jeito nenhum.

Enquanto o Genus perdia seu homem de referência lá na frente. O Princesa voltava a ter em Somália seu ponto de apoio. Wagner Léo ou Thiago Vela não podiam tirar o olho do veterano atacante, pois a bola chegando em seu pé é perigo para o goleiro adversário.

E chegou. Justamente pelo lado do arisco Edinho Canutama que, driblou uns três defensores do Genus e cruzou rasteiro voltando da linha de fundo, bola no pé bom - o esquerdo de Somália - que fez o segundo do Princesa e o primeiro dele nesta Série D.

Reação de Somália, pois não: fez aquele gesto de colocar a mão na orelha, pediu silêncio, ali na borda do campo remexeu, fez aquela apresentação de mestre-sala ou de dança de Hip Hop. Enfim, foi um gol simples mas de grande valia ao Somália.

O repórter/blogueiro tascou a seguinte pergunta ao velho atacante: Somália após seu gol, você fez todo aquele ritual, inclusive levantando a mão ao céu. Este agradecimento era pela seca de gols? Pensei que ia ter uma resposta bem desaforada, mas não: - a ausência de gols não me preocupa tanto. O que estava me chateando e a todos no Princesa era a falta de vitórias, espero que Deus tenha aberto nosso caminho de vitórias. 


(Somália(f) responde a este blogueiro - Foto: Alexandre Almeida)

Os outros resultados do Grupo A1 deste domingo(3)

Santos-AP 1 x 2 Rio Branco-AC
Genus-RO 0 x 2 Princesa-AM
Atlético-AC 2 x 1 S. Raimundo-RR

Classificação

1º) Rio Branco-AC 7pts
2º) Princesa do Solimões-AM 4pts
Dai vem; Santos-AP e Atlético-AC 4pts(3º e 4º)
5º) S. Raimundo-RR 3pts
6º) Genus-RO 3pts. 




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Rondoniense de 17 anos vai disputar o concorrido Sub-20 em SP

Olha que notícia maravilhosa. Vem daqui de perto do distrito de Jaci-Paraná, a 80 km de Porto Velho, um filho do distrito chamado Jardson Medeiros, zagueiro de 1,85 m com 17 anos, pé esquerdo, pelo visto um prodígio - na acepção da palavra -, daqueles com habilidades próprias para pessoas com mais idade.
Acompanhe o histórico de Jardson: foi bicampeão da copa treze sub-15 pelo Avaí-PVH; em 2015 disputou o sub-16 pelo SC Genus; já o ano passado foi campeão do Interdistrital pela seleção de Jaci-Paraná, quando foi muito elogiado pela postura em campo e personalidade.
Desta temporada o garoto começou a viajar. Entenda-se viajando para fazer o que mais gosta, e sabe fazer. Foi para Confins-MG, disputou o campeonato mineiro sub-17 pelo Bonsucesso EC, sucesso garantido seu time foi eliminado na semifinal mineira. Algumas equipes de base da terra de Tiradentes tentaram ficar com o zagueiro.
Porém, seu destino acabou sendo São Paulo, primeiro jogou pelo Osvaldo Cruz FC, interior paulista. Ao vol…

Vila Nova FC - GO contrata dois do futebol rondoniense

Um é "veterano" dos seus 34 anos, mas a função talvez exija uma pessoa dessa estirpe, com formação superior em Ciências Contábeis; foi observador da base do próprio Vila Nova; trabalhou como Coordenador de Esportes e, portanto, na formação do Rondoniense SC onde sagrou-se campeão do 1º turno de 2016 no Periquito do Ulisses Guimarães - com às mãos nas costas -, depois saiu e foi especializar-se em Coaching na área esportiva, lá em Manaus-AM.
Falo de Welmer  Bueno(f), que já assumiu o cargo de Coordenador Geral da Base do Vila. Os objetivos traçados para o time goiano são alvissareiros e factiveis, senão vejamos: 1) tornar a base do Vila Nova, uma base profissional; 2) captar recursos financeiros para viabilizar todo o projeto; e 3) trabalhar a formação e liderança da equipe, captação de jogadores para a base, disciplina e compromisso. Falando em compromisso, a primeira grande batalha do Vila é a Copa SP com início dia 3 de janeiro próximo. (Welmer Bueno - reprodução/facebook)
A …

Tanaka faz acordo amigável e dá adeus ao Periquito

Foram somente três minutos vestindo a camisa oficial do RSC. Falo de Alessandro Tanaka, camisa 16 que entrou ao final do jogo entre RSC 0 x 0 Cuiabá pela Copa Verde, no último domingo. O ambiente no ninho do periquito já não estava legal para o atleta estrela de Guajará-mirim, ontem, segunda-feira entornou de vez.
E, agora à tarde o rápido atacante Tanaka, entrou em acordo com a diretoria do clube, e deu adeus ao RSC. Agora vem a surpresa maior. Sabe para onde voa o Tanaka, ou melhor, sai do ninho do periquito e vai para o Acre, isso mesmo o novo clube será no estado do Acre. E quem pensava no Tanaka no Galo da BR, tire o cavalo da chuva.
O blog chegou a conversar com Eder Marques, um dos diretores do Jipa, e ele assim se expressou: "Luis, na verdade era intenção da gente trazer o Tanaka para cá, como foi um acordo amigável e ele resolveu ir para o Acre, que seja feliz não vamos entrar em leilão". (Tanaka deixou o RSC nesta terça(7), vai para o Acre)