Pular para o conteúdo principal

Série D: Genus mexe errado e faz Somália remexer

Genus e Princesa fizeram um bom jogo nesta tarde de domingo(3), no Aluizão. Pelo lado do visitante a pressão era grande por uma vitória, por outro lado o mandante fazia seu terceiro jogo em 8 dias. Vitória na quarta-feira dava mais tranquilidade ao aurigrená.

Quem começou melhor foi justamente o Princesa, com maior posse de bola, mas sem levar  perigo ao gol defendido por Dida. Aos 10' a primeira lambança do árbitro Rafael Odílio. O atleta Rondinelli(Princesa) recua a bola para seu defensor, no que se aproveita o atleta Pemaza(Genus), e parte pra fazer o primeiro gol do jogo.

Quem acompanha o Pemaza? Justamente Leandro Camilo que dá um bico de leve na bola e o goleirão Paulo Wanzeler encaixa a bola com categoria - ou seja, caracterizou o recuo para o goleiro -, isso pode?

Dai pra frente o Princesa voltou a botar a bola no chão. As subidas de seus alas sempre era fator de risco para o Genus, tanto com Deucinei pela direita como Guilherme pela esquerda. Aos 21' jogada pela direita do ataque do Tubarão, porém, a defesa do Genus coloca a bola para escanteio.

Aos 22' após cobrança de escanteio curto para o ala direita Deucinei, este levanta na pequena área do Genus, Branco chuta a bola bate na trave, na volta Somália chuta Dida - goleiro do Genus rebate - e, Branco faz 1 x 0 Princesa.

Aos 25' Renato Medeiros levanta a bola na área do Genus, Somália com seus quase 2m ajeita a bola para Branco autor do gol, este em condição regular chuta com força, a bola sobe e bate no tarvessão do bom goleiro Dida.

Aos 30' Ronan(Genus), conduz a bola com categoria pelo lado direito, passou com muita classe por Leandro Camilo quando vem o zagueirão tipo guarda-roupa Lídio e dá um carrinho lateral, pegando Ronan bola, chuteira e tudo que tivesse à frente - pênalti -, mas cadê coragem para o homem de azul marcar. Torcida chiou e, Ronan quase sai direto para a emergência.

Final do 1º tempo: Genus 0 x 1 Princesa

Segundo tempo: Charles Guerreiro, técnico do Princesa faz um balanço do que foi a primeira metade do jogo e diz; "vou tentar aumentar o placar, o time do Genus é muito bom tecnicamente". Enquanto Zé Francisco voltava também com os mesmos 11.

Mas, o plano de jogo de Guerreiro foi se desfazendo quando o jovem Guilherme começou a sentir o músculo e teve que sair do jogo, entrou Cleiton He-Man e logo depois Renato Medeiros deu lugar a Lourinho. Enquanto isso o Genus em seu melhor momento de produção, pois já se passava dos 20' e Ronan quase empata aos 9' e Pemaza justamente numa bela enfiada de bola do craque Ronan aos 18' levou de vencida a defensiva do Tubarão e, de pé esquerdo que não é tão bom chutou no canto direito do goleiro do Princesa. Para fora.

Ora, o que fez Zé Francisco - pra mim mexeu muito mal -, tirou justamente o Pemaza, logo depois o Ronan e o mais "pegador" do meio de campo, Pinóquio. O que fez Charles Guerreiro, tirou o homem do gol e colocou Edinho Canutama - um arisco e veloz ponta que tinha a missão de levar pra cima do Guarate - a ordem era não deixar o baixinho subir de jeito nenhum.

Enquanto o Genus perdia seu homem de referência lá na frente. O Princesa voltava a ter em Somália seu ponto de apoio. Wagner Léo ou Thiago Vela não podiam tirar o olho do veterano atacante, pois a bola chegando em seu pé é perigo para o goleiro adversário.

E chegou. Justamente pelo lado do arisco Edinho Canutama que, driblou uns três defensores do Genus e cruzou rasteiro voltando da linha de fundo, bola no pé bom - o esquerdo de Somália - que fez o segundo do Princesa e o primeiro dele nesta Série D.

Reação de Somália, pois não: fez aquele gesto de colocar a mão na orelha, pediu silêncio, ali na borda do campo remexeu, fez aquela apresentação de mestre-sala ou de dança de Hip Hop. Enfim, foi um gol simples mas de grande valia ao Somália.

O repórter/blogueiro tascou a seguinte pergunta ao velho atacante: Somália após seu gol, você fez todo aquele ritual, inclusive levantando a mão ao céu. Este agradecimento era pela seca de gols? Pensei que ia ter uma resposta bem desaforada, mas não: - a ausência de gols não me preocupa tanto. O que estava me chateando e a todos no Princesa era a falta de vitórias, espero que Deus tenha aberto nosso caminho de vitórias. 


(Somália(f) responde a este blogueiro - Foto: Alexandre Almeida)

Os outros resultados do Grupo A1 deste domingo(3)

Santos-AP 1 x 2 Rio Branco-AC
Genus-RO 0 x 2 Princesa-AM
Atlético-AC 2 x 1 S. Raimundo-RR

Classificação

1º) Rio Branco-AC 7pts
2º) Princesa do Solimões-AM 4pts
Dai vem; Santos-AP e Atlético-AC 4pts(3º e 4º)
5º) S. Raimundo-RR 3pts
6º) Genus-RO 3pts. 




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Atacante Gabriel Henrique está de partida do SC Genus

Virada do ano já começa bem movimentado pelo lado do time Aurigrená da Capital. Primeiro a polêmica das camisas para 2018, com dois escudos: Genus/Avaí, e hoje(2/jan) a desistência do ótimo atacante Gabriel Henrique, 21 anos, que recebeu uma proposta muito boa de Alagoas.
O novo time de Gabriel chama-se Santa Rita, é da cidade de Boca da Mata e fundado em 25/05/1974. O atleta estava com pré-contrato com SC Genus, para o ano de 2018. (Gabriel Henrique está saindo do Genus - foto: Fanpage do Clube)

Guajará fez Gato e Sapato do Urso

Falta de aviso não foi. Deixar tudo para a última hora, deu no que deu. Agora é juntar os cacos e tentar pontuar fora de casa. O jogo em si não foi um espetáculo por parte do Guajará, o time do Tinho Damasceno tem alguns atletas interessantes, que jogam juntos há algum tempo - não falo no Guajará, mas que ele Tinho trouxe sempre em dupla - por exemplo os dois meias Bibio e Tatico, os atacantes Marcos Bahia e Jaiminho, a zaga com Diego Norberto - seguro, pra passar por ele tem que ter moral.
Sabe qual tinha sido a última vitória do Guajará no estadual? Justamente no dia 1º de abril do ano passado, quando venceu ao Galo da BR por 3 a 1 lá no João Saldanha - e não é que seja o dia consagrado à mentira - pois não é que o Glorioso, quase um ano depois faz 3 a 1 no Genus e no velho Aluizão.
Antes dos primeiros 2 minutos de jogo Marcos Bahia recebeu em profundidade de Bibio, passou pelo meio da zaga do Genus derivando para o lado direito, chutou com força rasteiro no canto direito do goleiro G…

Atletas de Porto Velho são titulares em times goianos

Recebi a informação e, claro que passo à frente. Vários atletas de Porto Velho estão integrados a algumas equipes do futebol goiano: Isaac, volante dos bons no Goiânia; Gabriel, zagueiro no Abecat; Pablo, meia no Abecat; Isaias, atacante rápido pelas pontas no Abecat e Wendell, meia está no Vila Nova. (Wendell camisa 10 é de Porto Velho - foto: facebook)
Alguns disputam a Taça Mané Garrincha que tem o patrocínio da FGF - Federação Goiana de Futebol -, as categorias vão de sub-17 ao sub-19. Nesta quarta-feira,23, já tivemos a estreia de Wendell pelo Vila Nova onde ajudou o Tigrão a fazer 3 a 0 no Hidrolândia. (Vila Nova-GO categorias Sub-17 - foto: facebook)