Pular para o conteúdo principal

Silvio Carmo faz balanço sobre trabalho no RCP



O dirigente do RCP (Rondônia Clube Paralímpico), Silvio Carmo, foi entrevistado na tarde deste sábado no Programa Raio X Esportivo, da Rádio Cultura FM 107,9. Silvio fez um balanço das atividades do ano passado, planejamento e competições de 2015, projetos, nova sede e sobre os atletas de autorendimento do RCP.


  O RCP realiza um trabalho com pessoas com deficiência física, visual e intelectual. “O RCP atua especificamente na área de esporte e na atividade física. Trabalhamos com os projetos Escolar Paraolímpico e Atleta do Futuro. Buscamos introduzir a atividade física de forma controlada, atuando com quatro fisioterapeutas, professora Marinalva, eu e os atletas de auto rendimento. Hoje contamos com 36 atletas de alto rendimento no clube”, disse.



  Para Silvio Carmo, 2014 foi um ano muito bom para o Rondônia Clube Paralímpico. “Iniciamos o ano de 2014 com uma notícia muito boa. 14 atletas foram contemplados com o Bolsa Atleta do Governo Federal. E mais o Matheus Evangelista que contou com o Bolsa Pódio. Fomos para a etapa regional em Uberlândia. Esses 20 atletas que participaram, oito conseguiram índice para participar de outras etapas regionais. Participamos em abril do Open Paralímpico Internacional e, em seguida, de mais três etapas nacionais em São Paulo (SP), Porto Alegre (RS) e Fortaleza (CE). Em cada um desses eventos conquistamos várias medalhas, batemos recordes. Fomos para a etapa regional em Uberlândia”, destacou.



Silvio ressaltou que o trabalho tem surtido efeito com 14 atletas sendo contemplados com o Bolsa Atleta do Governo Federal e mais um Bolsa Pódio. “Bolsa para a preparação do atleta e a outra é a premiação em dinheiro da loteria da Caixa para medalhistas”, frisou.






O RCP atua hoje com apoio do Governo do Estado de Rondônia, o qual disponibiliza o apoio no deslocamento da delegação para as competições. “Sempre tivemos apoio do Governo do Estado, através da Secel. Todos os eventos que nós vamos os deslocamento é feito em parceria com eles”, acrescentou.



Sobre a sede do RCP, existe a promessa da construção de uma futura sede para atendimento de todos os filiados do clube. “Hoje temos uma sede alugada. Na rua Quintino Bocaiúva, 1517. No local, estamos funcionando e atendendo nossos filiados além da parceria que temos com o Ferroviário, através do presidente Horácio. Estamos bem situados e espero que no futuro possamos ganhar um terreno do governo de Rondônia. Se nós já fazemos sem uma estrutura grande, então com uma sede que seja nossa nós poderemos oferecer muito mais ao nosso associado”, frisou.



Destaque



O grande destaque do RCP tem sido o medalhista Matheus Evangelista, que está há dez anos competindo pelo clube rondoniense. “Ele é o quarto lugar no ranking internacional e é um dos favoritos para levar a medalha de ouro. Estive conversando com o Matheus e está sendo bastante badalado, mas nunca esquece da família e do clube dele”, acrescentou.



Trabalho



Sobre o trabalho no RCP, Silvio Carmo destaca o trabalho da comissão técnica composta por diversos profissionais em prol da qualidade de vida dos atletas “Elas (fisioterapeutas) atendem essas pessoas que chegam para praticar o esporte. Nós já tivemos em nossa equipe de trabalho um médico, uma odontóloga e uma fisioterapeuta. São trabalhos feitos por doação. Tem que ser apaixonado, tem que viver o esporte constantemente. Vivo 24 horas intensamente o RCP e isso é muito bom. Vou ficar no esporte olímpico até 2016. Temos que arcar com várias despesas, temos que fazer custos de capacitação, temos que organizar a entidade”, frisou.



A busca por talentos é constante no estado de Rondônia e Silvio Carmo conta com a indicação de atletas para poder garimpar novos atletas. “Vou nas escolas com nossa equipe, os alunos nos questionam e indicam pessoas com deficiência e que queiram praticar esporte. Inicialmente encontramos na família uma superproteção, mas entramos em seguida explicando como podemos auxiliar no desenvolvimento da pessoa e desta forma trabalhamos para o mesmo possa seguir uma atividade esportiva e, quem sabe se tornar um atleta de alto rendimento”, afirmou.



Open Paralímpico



O Open Paralímpico é composto por dez etapas e é classificatório para competições internacionais. “É como fosse uma Fórmula 1 dos jogos paraolímpicos. Nós vamos ter a etapa de são Paulo com atletismo e natação. Aqui no Brasil serão feitas novas qualificações internacionais para que esses resultados sejam homologados pelo comitê paraolímpico internacional. É importante que nossos atletas garantam presença entre os melhores para que suas marcas possam ser registradas internacionalmente”, destacou.



Durante a preparação da equipe, Silvio frisou que tem uma equipe trabalhando firme para que os atletas possam atingir seus objetivos. “Dez atletas estão trabalhando durante a preparação. Estamos indo para este evento somente com a equipe de atletismo”, lembrou.



2015



Silvio acredita em um melhor desempenho do RCP na atual temporada. “Nesse ano de 2015, nós queremos dar bastante oportunidade para os nossos alunos da iniciação esportiva nessas clínicas de natação e bocha. A primeira competição será em maio com o regional. Nós temos quatro etapas regionais e estaremos competindo contra o Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Goiás e Acre. Os atletas que conseguirem índice, a gente já tem que prepara-los para essas três fases”, acrescentou.



De acordo com Silvio, o esporte é uma poderosa ferramenta de inclusão social. “Deus é o arquiteto do universo e nossas ações serão julgadas”, finalizou. 

Fonte: Portal Futebol do Norte
Texto: Jornalista Alexandre Almeida

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Rondoniense de 17 anos vai disputar o concorrido Sub-20 em SP

Olha que notícia maravilhosa. Vem daqui de perto do distrito de Jaci-Paraná, a 80 km de Porto Velho, um filho do distrito chamado Jardson Medeiros, zagueiro de 1,85 m com 17 anos, pé esquerdo, pelo visto um prodígio - na acepção da palavra -, daqueles com habilidades próprias para pessoas com mais idade.
Acompanhe o histórico de Jardson: foi bicampeão da copa treze sub-15 pelo Avaí-PVH; em 2015 disputou o sub-16 pelo SC Genus; já o ano passado foi campeão do Interdistrital pela seleção de Jaci-Paraná, quando foi muito elogiado pela postura em campo e personalidade.
Desta temporada o garoto começou a viajar. Entenda-se viajando para fazer o que mais gosta, e sabe fazer. Foi para Confins-MG, disputou o campeonato mineiro sub-17 pelo Bonsucesso EC, sucesso garantido seu time foi eliminado na semifinal mineira. Algumas equipes de base da terra de Tiradentes tentaram ficar com o zagueiro.
Porém, seu destino acabou sendo São Paulo, primeiro jogou pelo Osvaldo Cruz FC, interior paulista. Ao vol…

Tanaka faz acordo amigável e dá adeus ao Periquito

Foram somente três minutos vestindo a camisa oficial do RSC. Falo de Alessandro Tanaka, camisa 16 que entrou ao final do jogo entre RSC 0 x 0 Cuiabá pela Copa Verde, no último domingo. O ambiente no ninho do periquito já não estava legal para o atleta estrela de Guajará-mirim, ontem, segunda-feira entornou de vez.
E, agora à tarde o rápido atacante Tanaka, entrou em acordo com a diretoria do clube, e deu adeus ao RSC. Agora vem a surpresa maior. Sabe para onde voa o Tanaka, ou melhor, sai do ninho do periquito e vai para o Acre, isso mesmo o novo clube será no estado do Acre. E quem pensava no Tanaka no Galo da BR, tire o cavalo da chuva.
O blog chegou a conversar com Eder Marques, um dos diretores do Jipa, e ele assim se expressou: "Luis, na verdade era intenção da gente trazer o Tanaka para cá, como foi um acordo amigável e ele resolveu ir para o Acre, que seja feliz não vamos entrar em leilão". (Tanaka deixou o RSC nesta terça(7), vai para o Acre)

Ariel Mamede e Welmer Bueno, juntos na mesma equipe

É isso mesmo, o mundo do futebol gira rápido demais. Assim como o mundo da política, da economia e das fofocas. Assim foi com o amigo e técnico de futebol Ariel Mamede, saiu daqui de Porto Velho-RO com um pé na taça de campeão-2016, e uma das mãos já levantando a mesma. Antes disso saiu do também RSC o dirigente Welmer Bueno, ambos retornaram ao estado de Goiás.
Enquanto Ariel foi dirigir um time goiano querendo subir da segunda divisão para a primeira, Welmer Bueno voltou para "seu" Vila Nova, no comando administrativo das divisões de base. Nesta copinha que ainda está rolando a bola, o que aconteceu: o Vila saiu de Goiás com status da melhor equipe do paraíso verde na categoria, acabou caindo na fase de grupos.
Enquanto o maior rival do Vila Nova, o Atlético Clube Goianiense ora dirigido por Ariel passou de fase. E aí vem as raquetadas da vida, neste sábado(14) o Vila Nova dispensa Lucas Oliveira, e foi buscar no Dragão o jovem comandante de lá. E agora estarão juntos em um …