domingo, 5 de julho de 2015

#SC Genus, você me representa#

Esta semana que se finda, cansamos de ler hashtag tais como: #fulano(a) você não me representa#, quando dou título à postagem e digo #SC Genus, você me representa#, entendam que aqui fala o cronista esportivo que acompanha o futebol profissional rondoniense - principalmente da capital desde 1992 - portanto, um ano após a primeira edição deste.

São 25 edições, dos quais até este sábado(4) somente o CFA da capital havia levantado a taça de campeão. Agora o Genus entra neste seleto clube dos campeões, e porque a instituição Sport Club Genus me representa: pelo projeto implantado neste 2015, lembrando que o modelo de parceria já vinha do ano passado quando do apoio do Cabral FC, na pessoa do empresário Elizeu Cabral na disputa da Série D.

Neste ano de 2015 a parceria foi com o Nacional de Rolândia-PR, com a vinda do técnico Claudemir Pontin e uma gama de atletas, que se juntaram aos daqui de Porto Velho oriundos do Cabral FC; representa porque eram 13 anos já na espera; representa porque com a conquista inédita já tínhamos a Copa Verde garantida na capital, e agora a Copa do Brasil ambas em 2016. 

Representa porque, os olhos dos empresários, políticos irão se voltar para a capital e quem sabe não saia em definitivo a construção de um estádio de futebol; com o feito do Aurigrená o mercado do futebol na capital tende a evoluir, no sentido da aparição de novos clubes - já há forte indícios de que teremos três(3) da capital no campeonato do próximo ano.

Agora voltando ao jogo deste sábado, tinha que ser com tamanha emoção. Quem lembra e ler esse Blog há de convir que o meu palpite foi, de um VEC cheio de problemas mas quando a bola rolasse as forças iriam se equilibrar. Dito e feito, pelo menos o primeiro tempo foi assim - mais para os Lobos -, aos 10 min abriu o placar com Edilsinho (minha opinião impedido).

Aos 39 min viu suas chances aumentarem com Cabixi na raça, chuta prensado com Jobert e tira o goleiro Dida completamente do raio de ação. Era os 2 a 0 que o VEC precisava para bordar a sexta estrela em sua camisa. A estratégia do Prof Pontin que povou o meio campo do Genus estava indo para o brejo. Ainda no primeiro tempo ele sacou o lateral esquerdo João Victor e colocou Pemaza.

E nas mexidas dos técnicos o do Genus saiu-se muito melhor. Se no primeiro jogo aqui no Aluizão com o VEC mais fragilizado, Pontin somente fez uma alteração aos 45 min do segundo tempo. No Portal da Amazônia ele mexeu no time antes de findar-se os primeiros 45 min. Mas o bom estava reservado para a segunda etapa.

Pontin foi buscar no banco de reservas aquele que na minha opinião foi o jogador chave da partida, falo de Thiago Xuxa - sempre contestado, chamado de gordo, fora de forma - pois bem, coube a esse mesmo Xuxa encostar mais no Fernandinho e fazer o pivô. O Genus voltou do intervalo com outra postura em campo. Logo aos 3 min Pemaza leva a defensiva do VEC no peito e na raça, não deu outra aterrado dentro da área, pênalti.

Fernandinho pegou a bola, com a tranquilidade de um monge bateu com perfeição no canto alto direito do goleirão Naldo, era o 2 a 1 VEC. O time continuava martelando o Lobo, aos 15 min numa sobra de bola nos pés de Xuxa este com extrema categoria coloca no canto esquerdo de Naldo, a bola ainda raspou a trave estava decretado o 2 a 2 (inclusive palpite do Blog).

Aos 20 min o artilheiro do campeonato Cabixi recebe uma bola de escanteio cobrado por Edilsinho e faz de cabeça: VEC 3 x 2 Genus, o jogo estava indo para os pênaltis. Porém, aos 22 min em falta bem cobrada por Alex do Genus, o experiente Xuxa faz de cabeça no cantinho direito de Naldo era os 3 a 3. Pensou que acabou, nada disso.

Aos 34 min em bela jogada entre Alex, Xuxa e Fernandinho este toca livre para Guarate - sim um lateral direito -, aparecendo na cara do gol. Jogada de treino, de ensaios de repetição, e para quem achava o Pontin um técnico retranqueiro (como este blogueiro), viu-se nesta jogada como o grupo estava focado era o sétimo gol do jogo: VEC 3 x 4 Genus, no placar agregado 6 a 4 para o Genus.

Será a queda da dinastia Dalhanol? Será a derrocada de Natal Jacob? Estes primeiro dias da semana que entra saberemos. Um fato é certo - a capital não precisa de esperar mais um ano para ser campeã -, já fazendo previsões futurísticas com três(3) equipes de Porto Velho disputando a Série A do rondoniense, penso que a geografia do futebol vai ter uma reviravolta já.

As notas dos atletas campeões neste sábado

Dida - anda saindo meio atabalhoado, nota 7,0
Guarate - sempre equilibrado para coroar sua participação fez um golaço, nota 9,0
Leivinha - entrou na vaga de Guarate para ganhar o bixo, sem nota
Jobert - falhou somente no 2º gol do VEC, nota 8,0
João Pedro - sempre regular, nota 7,0
João Victor - ainda não se garante na titularidade, nota 6,0
Pemaza - entrou na vaga de João Victor, sempre lutador nota 8,0
Vitão - desde que entrou no time sempre tem uma vaga, nota 8,5
Jean - tem pegada forte, mas sabe distribuir nota 8,5
Xana - o raçudo de sempre, não arriscou chute a gol nota 8,0
Thiago Xuxa - entrou na vaga de Xana, atleta inteligente absorveu as críticas no início da temporada e hoje fez nada menos do que dois gols numa decisão nota 9,5
Dimas - não tão brilhante como em outros jogos, nota 8,0
Alex - hoje foi o Alex do dia da estreia (só faltou o gol), mas tocou a bola, fez lançamento, muito bom de bola nota 10,0
Fernandinho - a cada dia cresce mais o futebol deste rapaz, foi dele o início das viradas nota 9,5
Claudemir Pontin - técnico hoje entrou com um time de vôlei no meio campo, depois mexeu e mexeu bem, nota 9,5
Marcelo - preparador físico muito bom o trabalho deste profissional nota 9,5

(Foto: Alexandre Almeida)





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sub-20: SC Genus goleia o Porto Club, com três gols de Caio Leite

Fim dos jogos de ida do Grupo A do Sub-20, para: Porto Club e SC Genus, jogo das 20h desta quinta-feira,19, de julho dia nacional de futebo...