Pular para o conteúdo principal

Sub-20: Genus esquece os problemas e fatura três pontos "fora de casa"

Era o primeiro jogo oficial entre os dois pelo Sub-20. Enquanto o Genus sofreu uma pancada por ter visto o Departamento Técnico da FFER (diga-se, conforme o regulamento oficial está correto), em ter retirado o único ponto conquistado pela equipe. O Rondoniense até que estreou bem, fora de casa conseguiu um empate nos acréscimos lá em Ariquemes.

De volta à capital o Rondoniense abriu mão de jogar em seu CT o Lago do Tucunaré, e conseguiu o estádio Aluizão. Fez alguns treinamentos, montou-se um time base para pegar o Genus e ai veio a notícia ruim para o técnico Tiago Batizoco, alguns ditos titulares não poderiam jogar contra o Genus - motivo BID -, nada menos do que cinco(5) quase meio time.

Neste mesmo espaço já cheguei a escrever; nesta categoria onde teoricamente todos estão na mesma faixa de idade, o que vai prevalecer é a bola de cada um. E aqui amigos sejamos justos, a bola do Genus esteve muito acima hoje, atletas inclusive que já fizeram parte do elenco campeão como Leonardo que fez um golaço hoje, aliás o da vitória do aurigrená.

Outro que vem arrebentando e que já participou até de Série D, esteve lá pelo Paraná no mesmo time do Rolândia é o Roger número sete - perdeu dois gols hoje que poderia ser mais elástico o placar, em favor do Genus -, e pelo lado do Rondoniense ao levar o gol aos 3 min de jogo o time sentiu o baque, desmoronou e, somente voltou ao normal lá pelos 20 e poucos minutos após o tempo técnico aplicado pelo árbitro Figarela.

Neste ínterim começou a aparecer um pouco do bom futebol de Matheus Castro, do Bruno e do Leandro Bú, destaco também Well e Caíque na zaga. Ai por volta dos 26 min houve um pênalti claro em favor do Tucunaré, Ximbinha foi o encarregado da cobrança - correu, lembrou da Joelma e bateu com o "calcâneo" do pé direito -, resultado goleiro para o lado direito e a bola caprichosamente para fora. Neste lance o Genus perdeu o zagueiro Luan Kallil, expulso.

Volta a instabilidade ao time comandado por Batizoco. Só dava Genus novamente, aos 41 min vem o golaço de Leonardo, numa sobra de bola ele mata no peito e desfere um petardo de pé direito, era o dois a zero em favor do Genus. Final de primeiro tempo. Na volta para o segundo tempo, nenhum dos técnicos fez mudanças: Luizinho do Genus, até certo ponto óbvio. Mas, Tiago Batizoco foi esquisito até, não mudar pois ficou evidente que Kelvin e Neguinho teem vagas entre os onze.

Vale salientar que ao adiantar o time deu resultado, pois aos 4 min do segundo tempo um novo pênalti fora marcado em favor do Rondoniense, dessa vez o encarregado foi Bruno. Ele com calma deslocou o ótimo goleiro do Genus, diminuindo o placar para: Rondoniense 1 x 2 Genus. Neste periodo até os 20 min por incrível que pareça o Genus criou duas excelentes oportunidades de fazer, do que o Rondoniense - ah, vão dizer que houve uma bola no travessão do Genus -, sim é verdade. Mas as chances do Roger fazer foi mais evidente.

Falar da arbitragem e falar de Arnoldo Figarela, é até covardia - o que correu esse jovem/veterano -, marcou dois pênaltis. Enfim, mais um show e de sobra os dois assistentes. Arbitragem de gente grande. Parabenizar a torcida que compareceu ao velho Aluizão. Enfim, estamos vendo belos espetáculos proporcionados por esta moçada Sub-20. Agora, Rondoniense tem que transformar as chances criadas em gol..., senão, senão!


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Rondoniense de 17 anos vai disputar o concorrido Sub-20 em SP

Olha que notícia maravilhosa. Vem daqui de perto do distrito de Jaci-Paraná, a 80 km de Porto Velho, um filho do distrito chamado Jardson Medeiros, zagueiro de 1,85 m com 17 anos, pé esquerdo, pelo visto um prodígio - na acepção da palavra -, daqueles com habilidades próprias para pessoas com mais idade.
Acompanhe o histórico de Jardson: foi bicampeão da copa treze sub-15 pelo Avaí-PVH; em 2015 disputou o sub-16 pelo SC Genus; já o ano passado foi campeão do Interdistrital pela seleção de Jaci-Paraná, quando foi muito elogiado pela postura em campo e personalidade.
Desta temporada o garoto começou a viajar. Entenda-se viajando para fazer o que mais gosta, e sabe fazer. Foi para Confins-MG, disputou o campeonato mineiro sub-17 pelo Bonsucesso EC, sucesso garantido seu time foi eliminado na semifinal mineira. Algumas equipes de base da terra de Tiradentes tentaram ficar com o zagueiro.
Porém, seu destino acabou sendo São Paulo, primeiro jogou pelo Osvaldo Cruz FC, interior paulista. Ao vol…

Tanaka faz acordo amigável e dá adeus ao Periquito

Foram somente três minutos vestindo a camisa oficial do RSC. Falo de Alessandro Tanaka, camisa 16 que entrou ao final do jogo entre RSC 0 x 0 Cuiabá pela Copa Verde, no último domingo. O ambiente no ninho do periquito já não estava legal para o atleta estrela de Guajará-mirim, ontem, segunda-feira entornou de vez.
E, agora à tarde o rápido atacante Tanaka, entrou em acordo com a diretoria do clube, e deu adeus ao RSC. Agora vem a surpresa maior. Sabe para onde voa o Tanaka, ou melhor, sai do ninho do periquito e vai para o Acre, isso mesmo o novo clube será no estado do Acre. E quem pensava no Tanaka no Galo da BR, tire o cavalo da chuva.
O blog chegou a conversar com Eder Marques, um dos diretores do Jipa, e ele assim se expressou: "Luis, na verdade era intenção da gente trazer o Tanaka para cá, como foi um acordo amigável e ele resolveu ir para o Acre, que seja feliz não vamos entrar em leilão". (Tanaka deixou o RSC nesta terça(7), vai para o Acre)

Ariel Mamede e Welmer Bueno, juntos na mesma equipe

É isso mesmo, o mundo do futebol gira rápido demais. Assim como o mundo da política, da economia e das fofocas. Assim foi com o amigo e técnico de futebol Ariel Mamede, saiu daqui de Porto Velho-RO com um pé na taça de campeão-2016, e uma das mãos já levantando a mesma. Antes disso saiu do também RSC o dirigente Welmer Bueno, ambos retornaram ao estado de Goiás.
Enquanto Ariel foi dirigir um time goiano querendo subir da segunda divisão para a primeira, Welmer Bueno voltou para "seu" Vila Nova, no comando administrativo das divisões de base. Nesta copinha que ainda está rolando a bola, o que aconteceu: o Vila saiu de Goiás com status da melhor equipe do paraíso verde na categoria, acabou caindo na fase de grupos.
Enquanto o maior rival do Vila Nova, o Atlético Clube Goianiense ora dirigido por Ariel passou de fase. E aí vem as raquetadas da vida, neste sábado(14) o Vila Nova dispensa Lucas Oliveira, e foi buscar no Dragão o jovem comandante de lá. E agora estarão juntos em um …