Pular para o conteúdo principal

Roby estreia com pé direito, e o Periquito vira pra cima do Estrelão

Fazia tempo que eu não via o craque de bola Roby com tamanha vibração, e não foi só ele - o Periquito da zona leste no todo -, início do jogo foi apertado, acossado, uma verdadeira blitz como se diz no jargão popular pra cima da defesa do RSC, por parte do Rio Branco(AC).

É tanto que aos 9' Geovane abriu o placar, um golaço de fora da área, após cobrança de escanteio a bola sobrou para o meia-direita do Estrelão de fora da área ele chutou por cima do goleirão Dida - uns dizem que foi frango - prefiro ficar com a tese do chute certeiro, daquelas bolas que tomam altura e, de repente cai lá dentro das redes, foi muito bonito o gol: RSC 0 x 1 Rio Branco(AC).

Dos 9' aos 25' por ai, só dava Rio Branco. O Periquito começou a equilibrar o jogo, com as aproximações de Edilsinho, Roby e Guarate - os dois últimos estreantes da noite - e que estreias: Roby então, com toque de bola magistral, cabeça erguida, deu até carrinho. Edilsinho o que se pode falar mais ainda desse rapaz.

E o Guarate, outro que se renovou levou até a família para ver sua estreia - aliás, o Aluizão é muito bom por isso - mesmo com uma plateia pequena, mas com certeza cheia da "parentada" dos atletas. Isso é bom? É ótimo, pois até nos momentos mais complicados há o aplauso, o incentivo, a cobrança sim, mas de um pai, um tio, uma namorada..., enfim.

Aos 31' veio o empate com Marco Aurélio, no seu 14º gol no ano e de cabeça. Cabeça que foi bem utilizada pelo trio infernal - Edilsinho, Roby e Guarate - com a participação e raça de Alesson, a bola quase perdida no ataque do RSC, sobrou para Edilsinho que levantou na medida, na cabeça de Marco Aurélio que deslocou o goleiro Cleverson: RSC 1 x 1 Rio Branco(AC).

Seis minutos após o empate, com maior intensidade do Periquito veio o desempate e logicamente a virada. Num bate-rebate na pequena área do Rio Branco, a zaga se atrapalha e na raça Roby de pé direito manda para o fundo da rede do Estrelão: RSC 2 x 1 Rio Branco(AC).

Veio a segunda etapa, nem Ionay e nem Artur Oliveira mexeram em seus times, sinal de que as coisas andavam bem. Ora, quem não andou muito bem e já se torna praxe, é a arbitragem que a CA-CBF escala pra cá, será que só tem mato-grossense fraquinho no apito. O Sr. Rodrigo da Fonseca, pelo amor de Deus, e os dois assistentes daqui de RO não ficam atrás - foi fraco o trio de ontem.

Mesmo assim, após um pênalti claríssimo em favor do RSC em cima de Lucas Bahia, não marcado pelo árbitro, e um gol mal anulado pelo assistente 2 Sr. Adenilson de Souza, de Fernandinho para o RSC de uma bola vinda da linha de fundo - vou repetir, da linha de fundo - mesmo assim os 45' finais foi de maior domínio do RSC.

Bem, 2 a 1 já coroava uma bela apresentação de um time em seu primeiro ano de profissionalismo, frente a uma equipe quase centenária - Rio Branco FC nasceu em 1919 -, portanto, 97 anos e 45 títulos estaduais, sem falar em outros atributos.

Cabia mais um. Claro que sim, e de quem? Do craque do jogo, do homem que em entrevista ao repórter Naldo Dias disse nas entrelinhas (que palavra!), encontrei no RSC um ambiente muito favorável para a prática do futebol. Então vamos ao golaço dele: Roby aos 45' - na última volta dos ponteiros, como diria Wolney Alonso.

Eles; Fernandinho rouba a bola ainda no campo do RSC e entrega para Edilsinho, este de canhota rola para Roby - estou falando de 45' do 2º tempo -, para quem diz que Roby é lento, preguiçoso, quebrou a cara, ele passa por dois defensores do Rio Branco fica cara a cara com o goleirão Cleverson e coloca no canto esquerdo alto, um golaço, placar final: RSC 3 x 1 Rio Branco(AC).

Parabéns a todos pelo bom futebol apresentado hoje no Aluizão - falo dos dois times.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Rondoniense de 17 anos vai disputar o concorrido Sub-20 em SP

Olha que notícia maravilhosa. Vem daqui de perto do distrito de Jaci-Paraná, a 80 km de Porto Velho, um filho do distrito chamado Jardson Medeiros, zagueiro de 1,85 m com 17 anos, pé esquerdo, pelo visto um prodígio - na acepção da palavra -, daqueles com habilidades próprias para pessoas com mais idade.
Acompanhe o histórico de Jardson: foi bicampeão da copa treze sub-15 pelo Avaí-PVH; em 2015 disputou o sub-16 pelo SC Genus; já o ano passado foi campeão do Interdistrital pela seleção de Jaci-Paraná, quando foi muito elogiado pela postura em campo e personalidade.
Desta temporada o garoto começou a viajar. Entenda-se viajando para fazer o que mais gosta, e sabe fazer. Foi para Confins-MG, disputou o campeonato mineiro sub-17 pelo Bonsucesso EC, sucesso garantido seu time foi eliminado na semifinal mineira. Algumas equipes de base da terra de Tiradentes tentaram ficar com o zagueiro.
Porém, seu destino acabou sendo São Paulo, primeiro jogou pelo Osvaldo Cruz FC, interior paulista. Ao vol…

Tanaka faz acordo amigável e dá adeus ao Periquito

Foram somente três minutos vestindo a camisa oficial do RSC. Falo de Alessandro Tanaka, camisa 16 que entrou ao final do jogo entre RSC 0 x 0 Cuiabá pela Copa Verde, no último domingo. O ambiente no ninho do periquito já não estava legal para o atleta estrela de Guajará-mirim, ontem, segunda-feira entornou de vez.
E, agora à tarde o rápido atacante Tanaka, entrou em acordo com a diretoria do clube, e deu adeus ao RSC. Agora vem a surpresa maior. Sabe para onde voa o Tanaka, ou melhor, sai do ninho do periquito e vai para o Acre, isso mesmo o novo clube será no estado do Acre. E quem pensava no Tanaka no Galo da BR, tire o cavalo da chuva.
O blog chegou a conversar com Eder Marques, um dos diretores do Jipa, e ele assim se expressou: "Luis, na verdade era intenção da gente trazer o Tanaka para cá, como foi um acordo amigável e ele resolveu ir para o Acre, que seja feliz não vamos entrar em leilão". (Tanaka deixou o RSC nesta terça(7), vai para o Acre)

Ariel Mamede e Welmer Bueno, juntos na mesma equipe

É isso mesmo, o mundo do futebol gira rápido demais. Assim como o mundo da política, da economia e das fofocas. Assim foi com o amigo e técnico de futebol Ariel Mamede, saiu daqui de Porto Velho-RO com um pé na taça de campeão-2016, e uma das mãos já levantando a mesma. Antes disso saiu do também RSC o dirigente Welmer Bueno, ambos retornaram ao estado de Goiás.
Enquanto Ariel foi dirigir um time goiano querendo subir da segunda divisão para a primeira, Welmer Bueno voltou para "seu" Vila Nova, no comando administrativo das divisões de base. Nesta copinha que ainda está rolando a bola, o que aconteceu: o Vila saiu de Goiás com status da melhor equipe do paraíso verde na categoria, acabou caindo na fase de grupos.
Enquanto o maior rival do Vila Nova, o Atlético Clube Goianiense ora dirigido por Ariel passou de fase. E aí vem as raquetadas da vida, neste sábado(14) o Vila Nova dispensa Lucas Oliveira, e foi buscar no Dragão o jovem comandante de lá. E agora estarão juntos em um …