Pular para o conteúdo principal

Leonardelli faz aniversário e presenteia o torcedor aurigrená

Genus e Ariquemes entraram em campo nesta tarde de domingo(19), em situação - digamos, de uma certa pressão - pelo lado do Genus a estreia em casa de quase meio time, a começar pelo treinador Mirandinha. Claro que já era a segunda rodada do campeonato, e o time jogou fora contra o Jipa e não saiu de um zero a zero insosso.

Já o Peixe do Jamari que, na estreia em casa havia perdido por um a zero para o Barça. Outro detalhe era o velho Aluizão, sem nenhum torcedor - portões fechados - em função justamente do comportamento de uma parte da torcida do Genus, ano passado. E nós da crônica esportiva também passando por essa experiência.

A bola rola, campo encharcado e o Genus toma a iniciativa de sair pro jogo. O Ariquemes do bom técnico Paulo Shardong, provando que esse jogo de esperar o adversário e sair em lançamentos longos não ia funcionar. Digo porque, o Genus bem armado com toques certinhos de Alisson, Luciano Mourão, Xana e, lá da defesa vinha um Wágner Leonardelli. Esse quando resolve apoiar, só vai na boa.

É tanto que o primeiro gol do jogo, e dele Leonardelli nasceu dos pés dele. Aos 18' ele cruzou uma bola para a pequena área do Ariquemes, o atacante Israel cabeceou e o goleiro tocou pra escanteio. Na cobrança rasteira, apareceu o pé salvador de Leonardelli e quando o goleirão viu a bola já estava lá dentro. Genus 1 x 0 Ariquemes.

Mas ai por volta dos 25' aconteceu um fato curioso e chato. Paulo Shardong tira Guarate e coloca Tardelli - e o que aconteceu; bem, primeiro a raiva, a deselegância do Guarate - ele saiu pelo lado oposto ao que o suplente entrou, não cumprimentou o companheiro - além disso tirou a camisa, chutou garrafa d'agua, bola, só faltou chutar o técnico. E não levou amarelo. A presidente do time estava por lá, e com certeza vai chamar o Guarate pra uma conversa. Gosto muito do excelente lateral direito, mas hoje extrapolou.

O Ariquemes cresceu em campo; Rob, Ivan, Mailson, Julio Cesar e Tardelli botaram a bola no chão, o Genus recuou e, em cinco minutos o Peixe empatou o jogo. E que golaço, dele sempre perigoso na área falo de Souza, que alguns segundos antes dos 30' tinha simulado uma falta que o juizão não foi na dele. Num arremesso lateral cobrado por Julio Cesar, nos pés do Souza, aliás no pé direito ele gira na frente do Xana e manda um pombo sem asas, não tinha defesa para Caio goleiro do Genus. Estava decretado o 1 a 1.

Dai o Genus se perdeu um pouco. E o Ariquemes era só ataque, aos 38' veio o desempate em favor do Ariquemes. Lado esquerdo de ataque, Julio Cesar e Ivan, este levanta para a cabeça de Souza, nem precisou dele cabecear, coube ao bom lateral esquerdo Leandro fazer contra seu patrimônio. Era o vira vira do Ariquemes. Genus 1 x 2 Ariquemes.

Final do 1º tempo.

Veio o segundo tempo. Nenhuma mudança dos dois professores. O jogo era bom, diria que muito bom. O primeiro a mexer na segunda etapa foi Mirandinha (Genus), ele tirou Israel e colocou Giovane. Parece que ai começou a fluir um passe mais calculado, a bola sai bem certinha do pé do Giovane. Gabriel abriu mais para direita, assim como Leivinha já subia com mais convicção.

O tempo passava com muita rapidez, e o Ariquemes começou a fazer a famosa cera, uma hora era o cai cai do goleiro Douglas (não o Douglas ex RSC), depois o capitão Jailson. Uma vitória fora de casa interessava demais ao time ariquemense. Nesse ínterim uma pequena lambança do árbitro Jonas Khun, foi justamente numa bola saindo rapidamente da defesa do Ariquemes para o ataque - o Luciano Mourão para a jogada com falta clara -, mas o juizão resolve parar a jogada e, fica voando procurando o Mourão.

Um atleta do Ariquemes reclama e árbitro aplica o amarelo para ele. O árbitro vai conversar com o assistente dois, e um minuto depois ele finalmente levanta o cartão para o Mourão. Jogo segue, o juiz dá 4 minutos de acréscimos, Então vamos aos 49', ai meus amigos entra o fator aniversariante e justo o homem que fez o primeiro gol para o Genus, foi lá pra área. Uma falta quase no meio do campo, um atleta do Ariquemes atrapalhando o Luciano Mourão de bater, o que ele faz toca a bola na canela de seu adversário avança mais um pouco e levanta a bola para dois atacantes do Genus.

Um desses atacantes era o zagueiro Leonardelli, subiu no segundo andar e tocou para os fundos das redes de Douglas, a bola ainda quase toca na trave. Era o segundo do Genus e também o segundo gol de Leonardelli num jogo só. O tempo 45 + 3, sabe o que fez o senhor Jonas Khun que havia dado 4' de acréscimos deu mais 1 e ele que só tem o jeitão meio desengoçado, acabou o jogo aos 49' mesmo, certo ele. Final: Genus 2 x 2 Ariquemes.

Olha apesar da chiadeira do Paulo Shardong, o trio de árbitros foi muito bem. Jonas Khun não vai participar de nenhum concurso de beleza, trabalhou certinho - mas presta atenção na lei da vantagem - deixa pra dar o cartão depois, ali poderia ter saido o 3º gol do Ariquemes. Márcia Caetano, aquele lance em que o Souza foi ligeiramente atropelado por um tanque colombiano chamado Hurtado, pra mim foi falta. Cristiano Pereira, marcações perfeitas sem comentários.

Destaques

Pelo Genus: Caio, Leivinha (2ºt), Wagner Leonardelli, Hurtado, Xana, Alisson, Mourão e Gabriel(2ºt). Maior destaque para Leonardelli e esse colombiano Hurtado.

No Ariquemes: Douglas (não teve culpa nos gols), Téo, Jailson, Julio Cesar, Ivan, Rob e Souza.
Maior destaque: Rob e Souza.
(Leonardelli, camisa aurigrená e chuteira vermelha - gol do empate - créd: Alexandre Almeida)




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Rondoniense de 17 anos vai disputar o concorrido Sub-20 em SP

Olha que notícia maravilhosa. Vem daqui de perto do distrito de Jaci-Paraná, a 80 km de Porto Velho, um filho do distrito chamado Jardson Medeiros, zagueiro de 1,85 m com 17 anos, pé esquerdo, pelo visto um prodígio - na acepção da palavra -, daqueles com habilidades próprias para pessoas com mais idade.
Acompanhe o histórico de Jardson: foi bicampeão da copa treze sub-15 pelo Avaí-PVH; em 2015 disputou o sub-16 pelo SC Genus; já o ano passado foi campeão do Interdistrital pela seleção de Jaci-Paraná, quando foi muito elogiado pela postura em campo e personalidade.
Desta temporada o garoto começou a viajar. Entenda-se viajando para fazer o que mais gosta, e sabe fazer. Foi para Confins-MG, disputou o campeonato mineiro sub-17 pelo Bonsucesso EC, sucesso garantido seu time foi eliminado na semifinal mineira. Algumas equipes de base da terra de Tiradentes tentaram ficar com o zagueiro.
Porém, seu destino acabou sendo São Paulo, primeiro jogou pelo Osvaldo Cruz FC, interior paulista. Ao vol…

Tanaka faz acordo amigável e dá adeus ao Periquito

Foram somente três minutos vestindo a camisa oficial do RSC. Falo de Alessandro Tanaka, camisa 16 que entrou ao final do jogo entre RSC 0 x 0 Cuiabá pela Copa Verde, no último domingo. O ambiente no ninho do periquito já não estava legal para o atleta estrela de Guajará-mirim, ontem, segunda-feira entornou de vez.
E, agora à tarde o rápido atacante Tanaka, entrou em acordo com a diretoria do clube, e deu adeus ao RSC. Agora vem a surpresa maior. Sabe para onde voa o Tanaka, ou melhor, sai do ninho do periquito e vai para o Acre, isso mesmo o novo clube será no estado do Acre. E quem pensava no Tanaka no Galo da BR, tire o cavalo da chuva.
O blog chegou a conversar com Eder Marques, um dos diretores do Jipa, e ele assim se expressou: "Luis, na verdade era intenção da gente trazer o Tanaka para cá, como foi um acordo amigável e ele resolveu ir para o Acre, que seja feliz não vamos entrar em leilão". (Tanaka deixou o RSC nesta terça(7), vai para o Acre)

Ariel Mamede e Welmer Bueno, juntos na mesma equipe

É isso mesmo, o mundo do futebol gira rápido demais. Assim como o mundo da política, da economia e das fofocas. Assim foi com o amigo e técnico de futebol Ariel Mamede, saiu daqui de Porto Velho-RO com um pé na taça de campeão-2016, e uma das mãos já levantando a mesma. Antes disso saiu do também RSC o dirigente Welmer Bueno, ambos retornaram ao estado de Goiás.
Enquanto Ariel foi dirigir um time goiano querendo subir da segunda divisão para a primeira, Welmer Bueno voltou para "seu" Vila Nova, no comando administrativo das divisões de base. Nesta copinha que ainda está rolando a bola, o que aconteceu: o Vila saiu de Goiás com status da melhor equipe do paraíso verde na categoria, acabou caindo na fase de grupos.
Enquanto o maior rival do Vila Nova, o Atlético Clube Goianiense ora dirigido por Ariel passou de fase. E aí vem as raquetadas da vida, neste sábado(14) o Vila Nova dispensa Lucas Oliveira, e foi buscar no Dragão o jovem comandante de lá. E agora estarão juntos em um …