Pular para o conteúdo principal

O Produto é bom, mas os árbitros estão um nível abaixo

Das oito equipes do rondoniense-17, já vi seis jogando no velho aluizão - somente não vi: Jipa e VEC - e, confesso: o produto é bom, hoje por exemplo dos 14 que entraram no Real Ariquemes, desde os 11 primeiros e depois; Augusto Cesar, Bida e Igor Felipe, bons de bola os rubro-negros do Vale do Jamari.

Como comecei do time do Real, destaco: Dida, sempre muito seguro. Na zaga, Alan e os alas Leleco e Cássio na mesma toada. O meio de campo o ponto forte do time do Simônio e, com a entrada do Michael Douglas, deste canhoto Felipe Cabral e a madeira chamada Reginaldo. No ataque qual time que não queria contar com esse artilheiro Marco Aurélio, Figurinha e até o Augusto César - que é banco, mas joga muito.

Com relação ao aurigrená da capital, hoje contra o Real penso que foi a melhor partida do time do Profº Mirandinha. A torcida finalmente pode reencontrar seus ídolos no aluizão, também como seu adversário o Genus utilizou três do banco de reservas, no caso Higor, Geovane e Israel. Não comprometeram, mesmo o zagueiro Higor que nunca pensava em entrar em função de expulsão de um seu companheiro.

Parece que o profº Mirandinha encontrou o ponto do doce, quando trouxe Leandro camisa 7 e Luan Fernando 8 para se juntarem ao Marcão, e dá aquele apoio necessário ao Luciano Mourão. Leandro um volante moderno, pé esquerdo, muita habilidade e o Luan Fernando - penso que faltava uma partida inteira pra ele -, não perde mais a camisa 8.

O Genus deste domingo, do goleiro ao ponta esquerda não houve uma peça que desafinou. A torcida saiu contente com o comprometimento do time. Basta dizer que aos 6' o time já abria o placar com uma blitz em cima do Real Ariquemes, e Marlon na pequena área chutou rasteiro a bola ainda tocou no goleiro Dida, ia talvez pra fora o zagueiro Allan tocou e a bola foi para o fundo das redes. Genus 1 x 0 Real.

Para a segunda etapa, ninguém mexeu no intervalo. Porém, a equipe do Profº Simônio Veiga voltou com clara intenção de marcar a saída de bola do Genus. Neste momento as mais belas defesas do goleiro Caio, mostrou porque é o titular absoluto do time. Mas ai por volta dos 25' aconteceu um cartão vermelho direto, e foi para o zagueiro Hurtado - o colombiano bom de bola do Genus - o lance foi de uma jogada mais ríspida em cima do Figurinha do Real, quando o juizão viu.

Somente amarelou o jogador do Real e vermelho para Hurtado, ele não se conformou com sua expulsão, inclusive chegou a chorar. Até la fora depois do jogo, ele me mostrou marcas da chuteira do adversário na sua canela: "se era pra expulsar, que botasse os dois pra fora", disse ao blog. Com essa expulsão fez o Mirandinha tirar o homem gol Marlon e colocar Higor na zaga.

Nessas alturas começa o show de fraqueza do árbitro Caio Cazuza, pela ordem e enquanto minha memória vai buscar no fundo da caixola - um lance em que o Figurinha agarra e derruba Charlinho, em direção ao ataque do Genus - ele marca falta, sim. Mas, cadê a coragem de aplicar amarelo (era o segundo), enquanto isso o Reginaldo número 7 já fazia sua quarta/quinta falta, falta para amarelo. Só veio tomar o amarelo por volta dos 35'.

Aos 37' o Genus perde o gol mais feito de todo o jogo, coube essa façanha ao jovem Gabriel. Uma bola sobrou pra ele já na grande área, acho que ele pensou que estava impedido. Nada, ele levou o goleirão Dida saiu do gol, o chute saiu fraco e o goleiro segurou. Nada de queimar o garoto, mas o Marlon teria mandando uma "paulada". Vida que segue, só que perder um gol àquela altura era um perigo.

Perigo pois, do outro lado tem esse goleador Marco Aurélio. E foi dele sim o gol do empate, aos 47' ele recebe a bola do Augusto César, leva para o pezinho sagrado o canhoto e solta a bomba, a bola passa entre a trave direita e o goleiro Caio Borges, esse tentou tirar com o pé - penso que cochilou -, mas estava e está com muito crédito junto ao torcedor da TOG, da Muralha. Era o final do jogo: Genus 1 x 1 Real Ariquemes.

Quer dizer dos seis times que vi jogar, ou seja, em torno de 80 atletas dá pra afirmar que o produto é bom. Mas, sempre tem um mas, os homens do apito estão destoando - para se ter uma ideia, nesse jogo de hoje houve um atraso em torno de 4 a 5' do reinício do jogo - sabem porquê?

Porque o quarteto entrou em campo com o uniforme muito parecido com o do Real Ariquemes, só viram isso depois que a bola rolou. Na minha época, todos os componentes levavam dois jogos de camisas, e mais..., antes de entrar em campo eles já sabiam que o Real iria jogar com as camisas rubro-negras e o Genus de grená.

Foi uma lambança, foi. Será que vai para o TJD? Falando em TJD, esse cartão vermelho direto para o Hurtado foi o primeiro depois de cinco rodadas. Público pagante foi muito pequeno, para quem tinha sido penalizado com perda de dois mandos, 626 pagantes para R$ 5.810,00 foi pequeno. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Rondoniense de 17 anos vai disputar o concorrido Sub-20 em SP

Olha que notícia maravilhosa. Vem daqui de perto do distrito de Jaci-Paraná, a 80 km de Porto Velho, um filho do distrito chamado Jardson Medeiros, zagueiro de 1,85 m com 17 anos, pé esquerdo, pelo visto um prodígio - na acepção da palavra -, daqueles com habilidades próprias para pessoas com mais idade.
Acompanhe o histórico de Jardson: foi bicampeão da copa treze sub-15 pelo Avaí-PVH; em 2015 disputou o sub-16 pelo SC Genus; já o ano passado foi campeão do Interdistrital pela seleção de Jaci-Paraná, quando foi muito elogiado pela postura em campo e personalidade.
Desta temporada o garoto começou a viajar. Entenda-se viajando para fazer o que mais gosta, e sabe fazer. Foi para Confins-MG, disputou o campeonato mineiro sub-17 pelo Bonsucesso EC, sucesso garantido seu time foi eliminado na semifinal mineira. Algumas equipes de base da terra de Tiradentes tentaram ficar com o zagueiro.
Porém, seu destino acabou sendo São Paulo, primeiro jogou pelo Osvaldo Cruz FC, interior paulista. Ao vol…

Tanaka faz acordo amigável e dá adeus ao Periquito

Foram somente três minutos vestindo a camisa oficial do RSC. Falo de Alessandro Tanaka, camisa 16 que entrou ao final do jogo entre RSC 0 x 0 Cuiabá pela Copa Verde, no último domingo. O ambiente no ninho do periquito já não estava legal para o atleta estrela de Guajará-mirim, ontem, segunda-feira entornou de vez.
E, agora à tarde o rápido atacante Tanaka, entrou em acordo com a diretoria do clube, e deu adeus ao RSC. Agora vem a surpresa maior. Sabe para onde voa o Tanaka, ou melhor, sai do ninho do periquito e vai para o Acre, isso mesmo o novo clube será no estado do Acre. E quem pensava no Tanaka no Galo da BR, tire o cavalo da chuva.
O blog chegou a conversar com Eder Marques, um dos diretores do Jipa, e ele assim se expressou: "Luis, na verdade era intenção da gente trazer o Tanaka para cá, como foi um acordo amigável e ele resolveu ir para o Acre, que seja feliz não vamos entrar em leilão". (Tanaka deixou o RSC nesta terça(7), vai para o Acre)

Ariel Mamede e Welmer Bueno, juntos na mesma equipe

É isso mesmo, o mundo do futebol gira rápido demais. Assim como o mundo da política, da economia e das fofocas. Assim foi com o amigo e técnico de futebol Ariel Mamede, saiu daqui de Porto Velho-RO com um pé na taça de campeão-2016, e uma das mãos já levantando a mesma. Antes disso saiu do também RSC o dirigente Welmer Bueno, ambos retornaram ao estado de Goiás.
Enquanto Ariel foi dirigir um time goiano querendo subir da segunda divisão para a primeira, Welmer Bueno voltou para "seu" Vila Nova, no comando administrativo das divisões de base. Nesta copinha que ainda está rolando a bola, o que aconteceu: o Vila saiu de Goiás com status da melhor equipe do paraíso verde na categoria, acabou caindo na fase de grupos.
Enquanto o maior rival do Vila Nova, o Atlético Clube Goianiense ora dirigido por Ariel passou de fase. E aí vem as raquetadas da vida, neste sábado(14) o Vila Nova dispensa Lucas Oliveira, e foi buscar no Dragão o jovem comandante de lá. E agora estarão juntos em um …